Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

A importância do Médico Veterinário

A base produtiva a campo e as indústrias de processamento de carne são os núcleos de uma das mais longas e complexas cadeias produtivas, formadas por milhares de atores e agentes econômicos, que têm desde a sua origem a orientação de um profissional essencial: o médico veterinário

Luiz Carlos Giongo

 Presidente do Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas (Nucleovet)

09-Set-2021 08:35

A região que concentra a maior produção por área territorial de proteína animal do planeta é o grande oeste de Santa Catarina. A base produtiva a campo e as indústrias de processamento de carne são os núcleos de uma das mais longas e complexas cadeias produtivas, formadas por milhares de atores e agentes econômicos, que têm desde a sua origem a orientação de um profissional essencial: o médico veterinário.

Menciono as características dessa importante região brasileira para realçar uma das faces da atuação desse profissional que o Brasil e o Mundo aprenderam a valorizar. Hodiernamente, entre todas as profissões universitárias, o médico veterinário é uma das ocupações mais importantes e essenciais para a nossa sociedade. Com o avanço da ciência, a dinamização da economia e o crescimento da população, o médico veterinário foi muito além da prática de tratar e curar animais.

Graças a esses profissionais, a civilização avançou e permitiu que a humanidade mudasse a forma de ver o universo e todos os seus elementos. Uma compreensão mais profunda dessa profissão permite entender que os homens e os animais são partes do universo. No passado, os animais viviam para nos servir. Hoje, assimilou-se que eles são parte de um contexto no qual merecem nosso respeito e, mesmo que sejam criados para o fim de servir de alimento, são credores e destinatários de conforto e bem-estar. Não há paradoxo nem falsos dilemas nesse aspecto, mas um entendimento transcendental dessa relação entre seres humanos e os animais.

No curso da história o papel desse ator evoluiu e o médico veterinário não vive apenas para a arte de curar animais e de lhes assegurar tratamento humanitário. Eles fazem parte das estratégias para assegurar a produção de alimentos em escala global. Quem conhece a geografia e a economia catarinenses sabe como esses profissionais foram importantes para aperfeiçoar todos os ramos da atividade pecuária, levando conhecimento a milhares de famílias, produtores e empresários rurais o conhecimento científico que oportunizou o crescimento e a qualidade de vida.

A conquista de um status de segurança alimentar que o Brasil e outros países adquiriram resultou de seus esforços. A agroindústria e toda a agropecuária brasileira devem muito ao médico veterinário pelo seu trabalho na geração ou na transmissão do conhecimento.

Os médicos veterinários, no exercício de suas atribuições profissionais no campo ou na cidade, exercem papel de relevante interesse para a saúde pública, notadamente no que toca ao controle e erradicação de doenças de animais transmissíveis ao ser humano. A contribuição mais expressiva ocorre quando a Medicina Veterinária busca a saúde animal pública e humana por meio de estudos, diagnósticos e tratamentos, e no conceito mais amplo, aliviar o sofrimento e manter o bem-estar global.

Festejar o Dia do Médico Veterinário em 2021 – comemorado em 9 de setembro –  é particularmente importante para a profissão no oeste de Santa Catarina, pois em 9 de outubro o Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas (Nucleovet) completa 50 anos de fundação. Esse meio século foi marcado por muitas atividades, eventos científicos de alta qualidade, defesa profissional das categorias representadas, atividades esportivas, recreativas e culturais etc. Foi uma próspera, pródiga e produtiva caminhada, à altura da importância das profissões representadas.

Assuntos do Momento

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas
21 de Setembro de 2021
Ocorrência Sanitária

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas

A ocorrência foi confirmada ontem (20/09) pela OIE; é o segundo caso da enfermidade na América Latina, o que acende um alerta ainda maior em toda a suinocultura da região

Preço do suíno vivo sobe em vários estados
20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do suíno vivo sobe em vários estados

Após um começo de mês nada animador para o segmento, a última semana registrou novos aumentos em várias praças. Valor poderia ser maior, mas baixo poder aquisitivo da população segue impedindo.

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo
16 de Setembro de 2021
Custos

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo

Quadro afeta especialmente os produtores independentes, que têm menos poder de fogo nas negociações de grãos para ração

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

20 de Setembro de 2021
EUA

Nos EUA, deputados democratas pedem recursos para prevenir peste suína africana

Grupo de deputados pediu US$ 75 milhões em recursos para que autoridades de saúde animal previnam e se preparem para um possível surto de PSA no país

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos
17 de Setembro de 2021
Mercado

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos

Levantamento do Cepea mostra que, na média deste mês (até o dia 15), a diferença entre a carcaça especial suína, também comercializada na Grande São Paulo, e o frango inteiro é de apenas 1,19 Reais/kg

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade