Agroceres Multimix
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Reunião

ABCS debate prioridades da Suinocultura na Câmara Setorial do MAPA

A Entidade reforçou a importância de combater e erradicar a PSC na zona não livre por meio do Projeto Piloto em Alagoas e reiterou a necessidade de incluir a linha de retenção de matrizes no Plano Safra deste ano

Redação
01-Abr-2021 08:19

A equipe política da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS) participou, na última terça-feira (30/03) da primeira reunião online da Câmara Setorial de Aves e Suínos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), de 2021. Na oportunidade, a equipe técnica da Pasta apresentou o projeto piloto de vacinação contra Peste Suína Clássica (PSC) em Alagoas. 

Para o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, a erradicação e combate da PSC na Zona não Livre (ZnL), partindo de Alagoas é prioridade do sistema ABCS. “Para   erradicar a doença vamos ter que combater a circulação viral na Zona não Livre e por isso a necessidade de trabalharmos em conjunto (setor privado, órgãos nacionais e estaduais) para realizar a vacinação” disse.

 O chefe da Divisão de Sanidade dos Suídeos do Departamento de Saúde Animal (DSA) do MAPA, Guilherme Zaha Takeda, apresentou as estratégias já debatidas para executar o plano piloto em Alagoas. Takeda explicou que os processos ainda estão sendo discutidos, mas que com o empenho de diversas entidades a execução do Projeto deverá ocorrer em breve. “Nas nossas agendas também discutimos a pandemia, pois hoje, não podemos desconsiderar que além do trabalho técnico que existe na elaboração do Plano, temos também os agravamentos gerados pela COVID-19 e para realizar a vacinação a pandemia está sendo analisada com bastante cautela”.

Lopes reforça que a ABCS é uma das protagonistas, junto de outras instituições, nos debates referente a PSC e a vacinação na ZnL. “A ABCS se comprometeu em auxiliar o Plano Piloto em Alagoas com R$ 300 mil e o recurso foi rateado pelas nossas afiliadas. Sem dúvida que os produtores de suínos estão comprometidos em erradicar a PSC na ZnL”.  Já o orçamento da Pasta para o projeto no estado de Alagoas ainda não está definido, mas segundo Takeda em breve deverá sair essa definição.

Além da PSC a agenda da Câmara trouxe também temas prioritários para a suinocultura nacional referente as linhas de custeio para o Plano Safra 2021/2022. O diretor do departamento financeiro e informação da Secretária de Política Agrícola (SPA) do MAPA, Wilson Vaz de Araújo explicou que a ministra Tereza Cristina pretende conseguir um volume maior de recurso para o Plano deste ano, mas que por conta de todas as dificuldades trazidas com a pandemia da Covid-19 ainda não se sabe de quanto será o montante. Vaz lembrou ainda que não há o costume de ter recuo no Plano Safra de um ano para outro.

Na oportunidade a consultora governamental da ABCS, Luciana Lacerda questionou sobre a possibilidade de a linha de retenção de matrizes entrar em vigor no Plano Safra que será lançado este ano. O diretor do departamento da SPA, Wilson Vaz de Araújo disse que a linha vai concorrer com as outras linhas de custeio, mas reforçou que é viável sim, pois a Pasta avalia a necessidade de cada cadeia e o objetivo é auxiliar o produtor a não se desfazer do rebanho.  Vaz destacou ainda que o MAPA está trabalhando em algumas medidas para estimular os produtores de grãos a investirem mais no milho, cereal que é essencial na cadeia suinícola.

A consultora da ABCS reforçou que o pleito da retenção de matrizes é prioridade para a suinocultura e desde fevereiro a entidade vem atuando na demanda junto com suas afiliadas. Para o presidente da ABCS o pleito é uma forma de atender aqueles suinocultores que passam por dificuldades em relação a seus custos de produção, que tem sido cada vez mais elevado e se a linha for inserida no Plano Safra 2021/22 pode haver um folego aos suinocultores. 

A pauta da Câmara trouxe também temas como mercados interno e externo de carnes, cenário do milho, autocontrole, renovação dos contratos dos médicos veterinários oficiais e outros.
 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade