Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Peste Suína Clássica

ABCS participa da última agenda da Câmara Setorial do MAPA e reforça a continuidade do Plano de Erradicação da PSC em Alagoas em 2022

Com 60 dias de atuação, a primeira fase do Plano foi encerrada de forma positiva  com quase 107 mil suínos vacinados

Redação
27-Out-2021 14:32

O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, junto a equipe política da entidade participou, na última terça-feira (26), da última reunião online da Câmara Setorial de Aves e Suínos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) deste ano. Na oportunidade, a pedido da ABCS, a equipe técnica da Pasta apresentou os resultados alcançados no projeto piloto de vacinação contra Peste Suína Clássica (PSC) em Alagoas e as próximas etapas para 2022. Lembrando que o piloto de Alagoas faz parte do Plano Estratégico Brasil Livre de PSC, criado através de uma importante parceria público-privada entre o Serviço Veterinário Oficial (MAPA e ADEAL) e as instituições que têm atuado representando o setor privado, como a ABCS, a ABPA, a CNA/SENAR, o IICA e a Zoetis.

De acordo com a apresentação do chefe da Divisão de Sanidade dos Suídeos do Departamento de Saúde Animal (DSA) do MAPA, Guilherme Takeda,  foram 60 dias de trabalho para realizar a primeira fase da vacinação. Ao todo, a equipe de vacinadores visitou 7.018 propriedades, sendo que 80% dessas propriedades foram de novos cadastros, resultando em 106.881 suínos vacinados.  Já a segunda etapa da campanha de vacinação está prevista para fevereiro de 2022. Takeda explicou que o saldo dessa primeira fase de trabalho em conjunto com a iniciativa privada foi muito positivo, visto todos os números da campanha. Completando a fala do Takeda, o presidente da Câmara Setorial, Ricardo Santin agradeceu todo o empenho do MAPA e o envolvimento dos servidores da Pasta com o tema.

Para o presidente da ABCS a erradicação e combate da PSC na Zona não Livre (ZnL), partindo de Alagoas, foi umas das prioridades do sistema ABCS em 2021 e continuará no radar da entidade em 2022. “Ser uma das protagonistas nesse projeto junto com outras entidades é sem dúvida uma grande conquista para os produtores de suínos”. Lopes reforçou ainda que a continuidade da vacinação tanto em Alagoas, quanto nos outros estados da ZnL é primordial para erradicar a doença. 

A ABCS e a ABPA, juntas, apoiaram o Projeto em Alagoas com  um montante de R$ 1.300.000,00 e somente na primeira etapa o aporte foi de quase R$900.000,00, segundo os dados do MAPA sobre a campanha. Takeda explicou que a equipe de vacinadores e os brincos dos animais foram os maiores custos do projeto, já as vacinas utilizadas foram doadas pela Zoetis. De acordo com Takeda, o Departamento de Saúde Animal do MAPA irá disponibilizar nos próximos dias um relatório com os dados executados nesta fase do projeto.

China: principal destino das exportações de carne suína 

Além de PSC, outro tema tratado com prioridade na Câmara foi sobre as perspectivas da geopolítica para a Carne Suína em 2022. Segundo o presidente da Câmara, Ricardo Santin, a China revisou para baixo o rebanho das matrizes para o período de 2021 a 2025. “A meta fixada do número de matrizes, da China, para os próximos 4 anos, diminuiu e junto com isso os novos focos de Peste Suína Africana continuam a se espalhar pelo território Chinês”.  Os dados foram apresentados pela equipe técnica da ABPA.

Ainda na pauta da Câmara foi tratado sobre o trabalho do VIGIAGRO no combate a PSA, um esforço do MAPA junto ao setor para controlar a entrada de pragas e doenças no Brasil. Outro assunto no radar foi a necessidade do setor unir esforços para colocar em prática o Plano Integrado de Vigilância de Doenças dos Suínos em 2022, visando a manutenção da vigilância sorológica do país.  Para o presidente da ABCS, as pautas tratadas e debatidas na Câmara são essenciais para termos uma suinocultura cada vez mais competitiva e rentável. 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade