Alltech SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Sustentabilidade

Ações sustentáveis do Paraná foram apresentadas ao setor cooperativista

Programas como o RenovaPR, certificação de orgânicos, proteção de solos e água, além do Selo Clima, ações de reflorestamento e destinação de resíduos sólidos foram alguns exemplos apresentados

Redação, com informações AEN
26-Mai-2022 08:54 - Atualizado em 26/05/2022 09:15

O 1º Seminário Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo foi uma oportunidade para o governo estadual apresentar suas ações para uma agricultura sustentável e alinhada a tendências mundiais e de proteção do meio ambiente. Na abertura do encontro, nesta quarta-feira (25), o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, citou ações importantes como a proteção dos solos, da água, de áreas de preservação, e práticas como o plantio direto e a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

“Fazer mais e melhor com menos é um desafio permanente para tornar sustentável aquilo que é o ganha-pão paranaense”, afirmou Ortigara. “O cooperativismo tem papel muito relevante nisso, desde as grandes cooperativas, que se tornaram competidoras no mundo, às pequenas organizações locais que podem trilhar o mesmo caminho”.

O evento é realizado pelos Sistemas Organização das Cooperativas do Brasil e Ocepar, em parceria com o Canal Rural. O objetivo é discutir caminhos para que o Brasil cumpra as metas assumidas na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima de 2021 (COP26). O evento foi transmitido pelo canal da Ocepar no YouTube.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Everton de Souza, enfatizou que o Paraná participa ativamente de grandes pactos internacionais, como a COP26, e tem compromisso com a sustentabilidade. “Trabalhamos para poder viabilizar empreendimentos e produção no Estado com cuidados ambientais que nos permitam preservar e manter nosso patrimônio natural”, disse.

EXEMPLOS – Entre os exemplos de boas práticas de inovação e sustentabilidade no governo estadual está o trabalho do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná), com o desenvolvimento de cultivares, extensão rural e serviços automatizados de informação para os produtores; além de sistemas online para controle de doenças no rebanho paranaense pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). 

Programas como o Paraná Mais Orgânico, que garante orientação técnica para certificação; o Prosolo Paraná – parceria entre instituições públicas e privadas e setor produtivo para conservação do solo e da água –; e Estradas da Integração, que promove a melhoria da trafegabilidade das estradas rurais, redução dos custos de produção e conscientização da conservação de recursos naturais também são exemplos de apoio do Estado à sustentabilidade.

Outros exemplos são o Banco do Agricultor Paranaense, o Paraná Energia Rural Renovável (RenovaPR), modelo de incentivo à geração de energia de fontes renováveis no meio rural, e o Coopera Paraná, que fornece auxílio para organização e qualificação de pequenos agricultores e funciona como estímulo a práticas sustentáveis e inovadoras. 

Já a Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo atua pela redução de carbono por meio de ações como o Selo Clima Paraná, que certifica empresas que encaminham relatório com a emissão de carbono; e o Paraná Energia Sustentável, com a desburocratização no licenciamento de empreendimentos que emitem baixo teor de Gases de Efeito Estufa. 

Alinhado a ações globais pelo meio ambiente, o Paraná atende, ainda, a determinação da Secretaria de Biodiversidade da ONU, de compensação ambiental pela emissão de carbono, através do Programa Paraná Mais Verde. Outras ações fundamentais são a contratação do Plano Estadual de Mudanças Climáticas, a Política Estadual de Resíduos Sólidos, o Programa Estadual de Resíduos Sólidos e a Política Estadual de Crédito de Carbono.

BRASIL – O evento contou com a presença do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite, que destacou os desafios e as iniciativas do governo federal voltadas à neutralização de carbono. Segundo ele, o Brasil foi protagonista na COP26 e será também na COP27, no Egito. “Temos que estar unidos para mostrar um Brasil cada vez mais sustentável”, disse.

O Programa Nacional de Cadeias Agropecuárias Descarbonizantes foi abordado pela representante da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Sibelle Silva. “Precisamos de inovação e tecnologia para colocar isso tudo cada vez mais no mercado”, afirmou.

COOPERATIVISMO – Segundo o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, as iniciativas de preservação e sustentabilidade são implementadas há muito tempo no cooperativismo, em especial na conservação de solo, plantio direto, proteção de nascentes, mata ciliar e reserva ambiental. “Os produtores já destinam mais de 25% de ativo produtivo para a proteção ambiental e é preciso encontrar meios de transformar esses ativos em receita aos agricultores”, disse. 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade