Guia Gessulli
08-Out-2018 08:32 - Atualizado em 08/10/2018 10:09
Sanidade

Aeroporto tem ajuda de labrador para evitar entrada da peste suína

Ação ocorre devido a casos recentes de peste suína na Europa, África e Ásia e de febre aftosa na Colômbia

O Aeroporto Internacional de Guarulhos recebeu a ajuda de um cão treinado para evitar a entrada de produtos contaminados que possam espalhar a peste suína e febre aftosa pelo país. Thor, um labrador, ajudará os auditores fiscais federais agropecuários que atuam no posto de Vigilância Internacional Agropecuária (Vigiagro) do aeroporto na fiscalização de cargas e bagagens que chegam ao terminal.

A ação ocorre devido a casos recentes de peste suína na Europa, África e Ásia e de febre aftosa na Colômbia. O último surto de peste suína no Brasil foi em 1978, que entrou no país em restos de comida de um avião e gerou grande prejuízo para a criação de porcos brasileira.

“É trabalho dos auditores fiscais federais agropecuários evitar que produtos que podem conter pragas e doenças entrem no país, para isso, contamos com um trabalho de inteligência que tem, entre outros instrumentos, a equipe K9 [Thor e seus condutores]”, disse o auditor fiscal Angelo de Queiroz, coordenador da operação.

No processo de fiscalização, os auditores avaliam a procedência do voo, o ponto de origem onde se inicia a viagem, o perfil dos passageiros, as características das cargas e bagagens e a possibilidade de conterem produtos que ofereçam riscos relativos à introdução destas doenças no país.

“A esses parâmetros soma-se a avaliação prévia do risco sanitário associado a produtos agropecuários específicos. A partir daí, o Thor entra em ação e nos ajuda na identificação e apreensão destes produtos por meio do faro muito sensível”, disse Queiroz.

Redação SI
Deixe seu Recado