Rainha da Paz
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Mercado externo

Argentina abriu novo mercado e vai exportar carne suína para os Emirados Árabes Unidos

A religião muçulmana não permite o consumo, mas o país importa 15 mil toneladas para estrangeiros residentes no país

Redação
31-Mar-2021 10:14

A Argentina possui um importante mercado de carne suína e muito potencial de crescimento. Em 2020, as exportações atingiram um volume de 25.877 toneladas por um valor total de 55,88 milhões de dólares.

Agora, um novo mercado é adicionado, os Emirados Árabes Unidos. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca informou que este país aceitou a proposta de um certificado sanitário para a exportação de carne suína refrigerada e congelada.

As negociações levadas a cabo pelo Senasa, Ministério e Chancelaria deram frutos. Nesse sentido, o ministério dos Emirados expressou sua satisfação com os avanços e espera melhorar o fluxo de intercâmbio comercial entre os dois países.

Deve-se notar que o consumo de carne de porco e produtos derivados é proibido pela religião muçulmana. No entanto, os Emirados Árabes Unidos permitem que a importação de carne suína seja comercializada e consumida por estrangeiros residentes no país . “Só é necessário ter certificado de saúde e nenhum certificado Halal é necessário”, relataram do ministério.

As importações de carne suína dos Emirados estão em torno de 15 mil toneladas, esse volume inclui carnes in natura e subprodutos. “Em 2019, o valor das importações de carne suína nos Emirados chegou a US $ 37,3 milhões”, informou o Ministério da Agricultura.

Exportação de carne suína

A Argentina exportou um total de 25.877 toneladas de carne suína para o mundo em 2.020. Esse volume representou uma receita cambial de 55,88 milhões de dólares, 96% a mais que em 2019. 

“O principal destino foi a China, com 51,35 milhões de dólares, o que significou 22.533 toneladas. O gigante asiático representa 92% dos embarques para o exterior , seguido em menor proporção pela Rússia e Geórgia ”, concluiu o ministério.


 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade