Vale
11-Out-2017 14:07 - Atualizado em 11/10/2017 14:18
Mercado Externo

Argentina aumenta em 48% as importações de carne suína do Brasil

País é destaque entre os importadores das Américas, entre janeiro e setembro foram embarcados 23,5 mil t ante 15,8 mil t

A Argentina continua se mostrando um importante parceiro comercial do Brasil também em relação a carne suína, com sua demanda crescente pelo produto brasileiro. Destaque entre os importadores das Américas, a Argentina foi destino de 23,5 mil toneladas entre janeiro e setembro deste ano, volume 48,7% maior que o registrado no ano anterior (15,8 mil toneladas), informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). 

A Rússia continua na liderança das importações de carne suína, sendo que nos primeiros noves meses do ano, aquele país foi destino de 210,3 mil toneladas, desempenho 11,7% superior que o obtido no mesmo período do ano passado (188,4 mil toneladas).  “O sólido relacionamento que construímos com o mercado russo foi especialmente notável este ano”, destaca Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA

No segundo posto, Hong Kong (principal destino da Ásia) importou 112,2 mil toneladas, número 10,8% em relação aos nove primeiros meses de 2016 (com 125,9 mil toneladas. Maior importadora entre os países da África, para Angola foram embarcadas 23,2 mil toneladas entre janeiro e setembro (+14%, contra 20,4 mil toneladas em 2016).

Recém-aberto para as exportações de estados livres de aftosa com vacinação, e agregando um novo produto à pauta - a carne suína com osso – o mercado de Singapura registra elevação de 2,3% nas importações em 2017, com 24,9 mil toneladas – contra 24,4 mil toneladas entre janeiro e setembro do ano passado.

“Com a abertura para novos produtos e novas áreas exportadoras do Brasil, é esperado que Singapura assuma um papel ainda mais expressivo em nossas exportações a partir de 2018.  Hoje é o quarto maior importador, responsável por 4,8% do total dos embarques brasileiros neste ano”, destaca Ricardo Santin, vice-presidente de mercados da ABPA.

Redação
Deixe seu Recado