Guia Gessulli
19-Dez-2018 17:23 - Atualizado em 19/12/2018 17:41
Feira & Negócios

Brasil sediará a maior feira latino-americana de produção de proteína animal: AveSui EuroTier South America

O evento será organizado por meio de uma parceria estratégica entre Gessulli Agribusiness e DLG, atendendo a um projeto de internacionalização da feira EuroTier, que no próximo ano também será realizada na China e no Oriente Médio. No Brasil, a feira acontece entre 23 e 25 de julho em Medianeira (PR)

Por Humberto Luis Marques, de Hanover, Alemanha

O Brasil será palco do maior evento da América Latina direcionado aos setores produtivos de proteína animal. A AveSui EuroTier South America será organizado no país por meio de uma parceria estratégica entre Gessulli Agribusiness e DLG - Deutsche Landwirtschafts-Gesellschaft (Sociedade Agrícola Alemã), organizadoras da AveSui América Latina e da EuroTier, respectivamente. O anúncio aconteceu durante a EuroTier 2018, realizada em novembro em Hanover, na Alemanha. A entrada da feira no mercado latino-americano faz parte de um projeto de internacionalização do evento, que no próximo ano também está programado para ocorrer na China e no Oriente Médio.

O tamanho do agronegócio brasileiro - responsável hoje por 25% do PIB nacional - e sua relevância para o mercado internacional pesou na decisão de trazer o evento para o país, assim como as expectativas de contínuo crescimento da produção e da perspectiva de novos investimentos. A AveSui EuroTier South America será realizada de 23 a 25 de julho no município de Medianeira, na região oeste do Paraná, onde ocorreu a AveSui América Latina neste ano. A região é considerada um dos maiores polos transformadores de grãos em carnes do país, com forte presença de cooperativas agropecuárias, além de ser próxima as fronteiras da Argentina e Paraguai, compondo um cinturão produtivo que contempla ainda Estados do Sul e do Centro-Oeste.

O Paraná ocupa hoje a posição de quarta economia do país, figurando entre os três maiores exportadores do agronegócio brasileiro. Em avicultura, responde por mais de 30% da produção e exportação do Brasil, ocupando a liderança em ambos os casos. Possui um rebanho bovino de 9,4 milhões de cabeças, sendo o segundo produtor brasileiro de suínos e terceiro em exportação. Além disso, é uma importante bacia leiteira e referência no cultivo de peixes em cativeiro.

Um estudo realizado pela AgriFuture Insights, departamento da DLG responsável por apontar tendências e relatórios globais do agronegócio, identificou um alto nível de confiança em investimentos direcionados para o Brasil nos próximos 12 meses, cujo percentual atingiu 40%. Os relatórios são montados a partir de pesquisas com produtores oriundos de 13 países com relevância para o agronegócio mundial.

No setor avícola brasileiro, o estudo indicou uma tendência de os produtores investirem na expansão da produção, atrelado a um forte interesse em questões como sanidade dos plantéis e fortalecimento de sua competitividade internacional. Em gado leiteiro, o relatório indicou que os produtores têm apostado em robustez genética, gerenciamento eficiente de custos e mecanização e digitalização dos processos produtivos. O setor de energia também continua a ser um importante campo de atividade para os agricultores brasileiros, segundo o estudo da AgriFuture Insights.

Nesse último aspecto, a AveSui EuroTier South America abrigará também a Energy Decentral, feira direcionada ao setor energético, principalmente com soluções para geração de energia limpa, como o biogás. A proximidade de Medianeira com a Itaipu Binacional, maior geradora de energia limpa e renovável do mundo, favorecerá o intercâmbio de informações técnicas e trocas de experiências em projetos, além de favorecer o acesso de agricultores a tecnologias para geração de energia no campo.

TRADIÇÃO EM FEIRAS

A AveSui EuroTier South America será realizada de forma conjunta entre Gessulli Agribusiness e DLG, ambas com larga tradição na organização de eventos para o agronegócio, com ênfase na produção animal. “A DLG e a Gessulli Agribusiness possuem histórias centenárias e trajetórias que se completam. Principalmente, porque para ambos o agronegócio é a sua vida. Respiramos e buscamos o desenvolvimento do agronegócio. Nós estamos muito felizes com essa parceria, a qual nos irá diferenciar das outras feiras”, ressalta Jens Kremer, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Vendas da DLG.

Centenária editora de títulos para o agronegócio, a Gessulli Agribusiness foi pioneira na organização no país de feiras voltadas à produção de aves e suínos, ainda nos anos de 1980. Desde 2002, realiza a AveSui América Latina, que se tornou o principal evento da indústria avícola e suinícola latino-americana, agregando nas últimas edições segmentos como o de Biomassa & Bioenergia, Reciclagem Animal e Psicultura. “Essa parceria é muito importante para o mercado de toda a América Latina, pois vai proporcionar a realização de um evento com forte intercâmbio de tecnologias, difusão de informações científicas e ambiente adequado para negócios e contatos”, afirma Andrea Gessulli, diretora da Gessulli Agribusiness.

Ao longo de sua história, a AveSui sempre foi o ponto de encontro de todo o setor produtivo, sendo palco para o lançamento de inovações, joint ventures, novas parcerias e também para discussões de temas centrais como bem-estar animal, sanidade e transformações de mercado. A Europa é responsável por muitas dessas tecnologias e também por apontar tendências de consumo e produção. Segundo Andrea Gessulli, ao unir essas duas vertentes num único evento, a distância entre produtores e inovações tecnológicas se reduz, acontecendo o mesmo entre o Brasil, um dos principais mercados produtores de proteína do mundo, e as empresas interessadas em atuar por aqui. “Vamos encurtar a distância entre os produtores latino-americanos e as tecnologias existentes na Europa e no mundo. Será um imenso ganho para esse cinturão produtivo composto não somente pelo oeste do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, mas também pela Argentina, Paraguai e Uruguai”, ressalta Andrea.

APOIO DO SETOR PRODUTIVO

A parceria entre a Gessulli Agribusiness e a DLG na organização da AveSui EuroTier South America agradou ao setor produtivo brasileiro de proteína animal. Os empresários entendem que o evento será responsável por intensificar o intercâmbio tecnológico entre companhias nacionais e internacionais com todo o sistema produtivo do país – e também da América Latina -, além de ser um ambiente propício para o lançamento de inovações tecnológicas e para a difusão de novas técnicas de criação, assim como para o debate de questões relevantes, como a retirada dos antimicrobianos das rações, por exemplo.

O empresário Roberto Kaefer, diretor da Globoaves, uma das maiores empresas avícolas do País, com sede em Cascavel (PR), acredita que a realização conjunta entre a AveSui e EuroTier irá representar um salto de excelência na organização de feiras voltadas ao setor de proteína animal no Brasil. “É uma parceria que soma força e tradição em organização de eventos, o que para nós do Brasil será excelente”, indica Kaefer.

A confirmação do município de Medianeira, na região oeste do Paraná, onde foi realizada a AveSui América Latina nesse ano, também agradou ao setor produtivo. O oeste paranaense é um dos maiores polos transformadores de grãos em carnes do país, com forte presença de cooperativas do agronegócio. Os sistemas produtivos instalados na região são altamente tecnificados e formados por propriedades que trabalham na produção de aves, suínos, leite e peixes. “Haverá uma mobilização muito grande de todo o setor produtivo, de todas as cooperativas, para que seus produtores possam participar e aproveitar as oportunidades geradas por esse evento”, afirma Jair Meyer, superintendente de Suprimentos e Alimentos da Lar Cooperativa Agroindustrial, cuja sede fica em Medianeira.

Uma comitiva de empresários brasileiros, organizada pela Gessulli Agribusiness, visitou a EuroTier 2018. Presidente da Primato, cooperativa com sede em Toledo (PR), Ilmo Werle Welter integrou essa comitiva e teve a oportunidade de acompanhar in loco o lançamento de diversas tecnologias de ponta. “Eu conheci inovações cuja aplicação futura será responsável por ganhos significativos de produtividade e eficiência; com a realização desse evento no Brasil, juntamente com a AveSui, essas tecnologias estarão mais próximas do nosso produtor e da nossa rotina e realidade de granja”, enfatiza Welter.

O Paraná também possui relevância em geração de energia limpa, com a Itaipu Binacional, distante 40 minutos de Medianeira. O Parque Tecnológico de Itaipu dispõe ainda de uma série de projetos para produção de biogás, principalmente a partir de dejetos e resíduos dos sistemas de produção animal. Com a realização conjunta da feira Energy Decentral, que congrega empresas voltadas a soluções energéticas, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, George Hiraiwa, acredita que haverá um interesse e um intercâmbio importante também nessa área. “A AveSui EuroTier South America representa um verdadeiro divisor de águas para o nosso Estado; teremos o envolvimento de todo o setor de produção animal e ainda todo o segmento de geração energética, que é muito avançado no Paraná”, afirma o secretário.

ASSOCIAÇÃO CENTENÁRIA

A DLG foi fundada em 1885 pelo engenheiro e escritor Max Eyth. Desde a sua criação, a entidade tem como principal objetivo a difusão de inovações tecnológicas junto aos produtores rurais. Eyth foi um visionário, criando formas de apresentar essas tecnologias ao mesmo tempo em que buscava demonstrar os ganhos que trariam para a agricultura e/ou pecuária da época. A DLG é uma associação especializada, aberta a todos e politicamente independente, nascida pequena e contando hoje com mais de 27 mil membros. “A DLG não tem fins lucrativos e investe seus excedentes financeiros na melhoria de qualidade das feiras que promove e em ações positivas para o desenvolvimento da agricultura”, comenta Kremer.

A entidade atua em cinco setores-foco nas feiras que promove em todo o mundo: Produção Vegetal & Cultivo de Campo, Produção Animal & Agrícola, Energia, Silvicultura e Alimentos & Bebidas. Os eventos são plataformas de negócios e de lançamentos de inovações tecnológicas, criando ainda um espaço direcionado à disseminação de informações de mercado e das áreas técnicas e científicas. São 35 feiras organizadas pela DLG em 20 países, totalizando números superiores a seis mil empresas expositoras e 700 mil visitantes. A associação possui ainda dez subsidiárias em nove países, responsáveis por dar suporte às ações e organização dos eventos nessas regiões, além de uma rede internacional de parceiros voltados para pesquisas, desenvolvimento e apoio ao progresso de atividades agrícolas.

GARANTIA DE QUALIDADE

A atuação da DLG também extrapola o comumente imaginado para uma entidade representativa de um setor. A associação possui centros de excelência para testes de alimentos, maquinários e insumos agrícolas, os quais resultam em selos que atestam rigorosos parâmetros de qualidade. Os dados levantados durante a avaliação também ficam disponibilizados aos associados, indicando as melhores condições de uso de equipamentos e/ou insumos, por exemplo.

O Centro de Testes de Alimentos da DLG realiza análises anuais de mais de 30 mil produtos oriundos da Alemanha e de outros países. Trabalham na unidade mais de três mil especialistas em alimentos artesanais e industriais e ligados à Ciência e monitoria de qualidade de itens alimentares. Os testes de produtos alimentícios são realizados desde 1885, representando uma norma a ser seguida pelos produtores, assim como uma orientação de compra pelos consumidores via os selos que acompanham o item certificado.

O Centro de Testes de Tecnologia & Insumos Agrícolas é líder mundial em avaliações de maquinários, com acreditação alemã e internacional. A unidade é responsável pelo desenvolvimento de instrumentação e de técnicas de alta tecnologia para medição, além de instalações modernas e eficientes em ambientes fechados e externos. Por ano, são 1.100 testes técnicos; 200 selos de qualidade aplicados à máquinas e equipamentos agrícolas; 2.500 insumos agrícolas testados, com 400 selos distribuídos; e quatro mil relatórios e resultados de testes realizados.

INVESTINDO EM CONHECIMENTO

A DLG possui ainda em sua estrutura dois Centros de Competência, um direcionado para questões de Agricultura e outro para Negócios de Alimentos. Ambos visam o desenvolvimento de soluções para os desafios encontrados nas áreas agrícola e alimentícia. Só o Centro de Competência para Agricultura possui cerca de 900 técnicos e algo próximo a 50 organismos e comissões especializadas. O foco da unidade é trabalhar com produção vegetal, máquinas e equipamentos agrícolas, pecuária, nutrição animal, gestão, sustentabilidade, aquicultura, bioenergia e silvicultura.

A entidade dispõe ainda de um Centro Internacional de Produção de Cultivos. O local funciona como uma plataforma para pesquisas orientadas ao plantio de culturas e transferência dos resultados de ensaios para a prática de campo, sendo ainda um espaço para eventos e demonstrações técnicas.

O Centro de Competência em Negócios de Alimentos tem sob sua tutela mais de três mil especialistas internacionais nas áreas de Ciência e prática científica, trabalhando em temas como tecnologia de alimentos, aspectos contemporâneos para garantia de qualidade e avaliação da qualidade dos alimentos.

Toda essa estrutura demonstra o foco da DLG em buscar soluções para os novos desafios do mercado agropecuário e de alimentos. Mas, além de tudo, mostra a força das pessoas que compõem essa associação, fundada há mais de 130 anos. “A nossa associação é formada por pessoas que conhecem o agronegócio, nasceram dentro dele. Temos diretores que são produtores rurais. É o nosso DNA”, conclui Kremer.

Redação SI
Deixe seu Recado