08-Jun-2018 10:00 - Atualizado em 08/06/2018 10:50
Mercado externo

Carne suína russa à procura de mais mercados

Há uma forte dependência de Hong Kong e do leste da Ucrânia, afirma publicação da holandesa Pig Progress

Apesar do crescimento em 2017, as exportações de suínos e subprodutos suínos da Rússia são motivo de preocupação, de acordo com especialistas do país. Há uma forte dependência de Hong Kong e do leste da Ucrânia, afirma publicação da holandesa Pig Progress.

Em 2017, os produtores de suínos da Rússia exportaram 27 mil toneladas de carne suína, com um valor total de cerca de US$ 62 milhões, segundo um comunicado do Centro de Exportação da Rússia. O montante é quase 50% maior em comparação com 2016 - mas ainda está muito abaixo dos números que as agências governamentais gostariam de ver.

Além disso, a Rússia também exportou 42.700 toneladas de subprodutos de carne suína em 2017, de acordo com estimativas da agência de consultoria local AB-Center. Isso foi 32,4% maior em relação a 2016, com crescimento otimista previsto para 2018, segundo o AB-Center.

Projeções anteriores sobre exportações de carne suína

Os números estão de acordo com projeções anteriores da União Russa de Produtores de Carne Suína. A empresa havia previsto que a exportação combinada de carne suína e subprodutos suínos da Rússia variaria entre 70.000 e 75.000 toneladas em 2017. Em 2018, o crescimento em ambos os segmentos continuaria, de modo que o total das exportações poderia subir para 85.000 toneladas.

A União da Carne da União Econômica da Eurásia estimou que a Rússia poderia aumentar as exportações de carne nos próximos anos, levando-a a um milhão de toneladas por ano até 2022. Isso, no entanto, só poderia ser alcançado se novos mercados fossem abertos para suprimentos e, em 1º lugar, para o mercado da China.

Nenhuma diversificação para carne de porco e subprodutos

Na realidade, no entanto, tanto para exportações de carne suína como para subprodutos, as exportações da Rússia não poderiam ser chamadas de diversificadas. Em 2017, o país exportou 34.940 toneladas de subprodutos de carne suína para Hong Kong, de acordo com o AB-Center. Outras quase 5.000 toneladas foram compradas pelo Vietnã. Essa alta dependência de um mercado único neste segmento apresenta alguns riscos para os exportadores, alertou a AB-Center.

A imagem é muito semelhante com as exportações de carne de porco. Segundo dados do Serviço Aduaneiro Federal, 64% das exportações de carne de porco da Rússia foram enviadas para a Ucrânia. Suprimentos, notavelmente, que não são registrados por agências governamentais ucranianas. Isso é porque eles foram entregues principalmente às repúblicas rebeldes no leste da Ucrânia, que não estão sob o controle do governo em Kiev.

O crescimento da carne suína russa está provavelmente relacionado ao bloqueio econômico das repúblicas rebeldes pelo governo ucraniano, proibindo qualquer operação comercial com aquela parte do país. Sabe-se que estas regiões (Donetsk e Luhansk) não são autossuficientes em relação aos principais tipos de carne.

Suinocultores russos se beneficiam do aumento dos preços

Acredita-se que os produtores de suínos da Rússia poderiam se beneficiar do aumento dos preços da carne suína e subprodutos nos mercados estrangeiros. Por exemplo, o preço médio por kg de suínos exportados pela Rússia em 2017 foi de US$ 1,46 por kg contra US $ 1,22 por kg registrado em 2016, segundo o AB-Center.

Até certo ponto, o crescimento pode estar ligado a flutuações da moeda russa, já que os preços permaneceram quase no mesmo nível em rublos. O preço médio da carne suína exportada da Rússia também subiu cerca de 15% em 2017, segundo o Serviço Alfandegário Federal, embora os números ainda não estejam disponíveis.

Pig Progress / com tradução da Redação SI
Deixe seu Recado