Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Assine a Revista Revista Digital Anuncie
Às vésperas do Natal

Chile fiscaliza abastecimento interno e preços das carnes nos açougues

Chile importa uma quantidade significativa de carne, embora a produção nacional seja forte

Redação
16-Dez-2020 10:40 - Atualizado em 16/12/2020 10:56

Abastecimento normal de carnes vermelhas e brancas, mas com alta de preços nas carnes bovina e suína e leve queda no frango. Estes foram os principais pontos destacados nesta terça-feira (15) pelo ministro da Agricultura, Antonio Walker, que em conjunto com a equipe do SAG fiscalizou um açougue no centro de Santiago, pouco antes das festas de fim de ano.

Após a auditoria, o secretário de Estado destacou que o preço da carne de frango tem se mantido constante nos últimos tempos e que, em alguns casos, como no peito de frango, houve quedas de 3,2% nos supermercados, chegando a R$ 2.545 o quilo.

“Vemos que estamos muito bem abastecidos com carnes vermelhas e brancas. Destaca-se o frango, seja de peito ou inteiro, pois a verdade é que não temos visto aumentos significativos nos preços (...) Peru, que é uma carne que se consome muito no Natal, também vimos que em muitos lugares há queda de preço em relação ao ano anterior”, indicou.

“Você tem que olhar a rotulagem, é muito importante que o corte corresponda ao rótulo e o que a SAG está fazendo nesta semana e na próxima semana é verificar se todos os cortes que compramos correspondem à rotulagem porque em alguns lugares não corresponde”, aconselhou o ministro.

Entre os preços que estão em alta, de acordo com o monitoramento feito pela Odepa, estão a carne de porco desossada, que registrou aumento de 18,9% no açougue, atingindo o valor de $ 4.879 por quilo, e 15,9% no supermercado e $ 4.871 por quilo, enquanto o lombo suíno no açougue aumentou 16% obtendo um preço de $ 10.816 o quilo.

Diante desta situação, o Ministro da Agricultura explicou que o aumento dos preços se deve ao “câmbio muito alto e vemos que o Chile importa uma quantidade significativa de carne, mas a produção nacional é muito forte. Aumentamos a produção de carnes vermelhas nacionais e isso é uma ótima notícia”.