Guia Gessulli
12-Set-2019 08:32 - Atualizado em 20/09/2019 08:13
Reflexos da PSA

China começa a consumir suas reservas de emergência

A liberação de reservas locais é o exemplo mais recente de como a China está tentando lidar com a crise

A crise da carne suína na China piorou tanto que algumas de suas cidades estão começando a explorar suas reservas estratégicas de carne congelada.

Pelo menos quatro cidades ou províncias que abrigam cerca de 130 milhões de pessoas começaram a baixar estoques para inundar o mercado com carne suína congelada, na tentativa de estabilizar os preços e aumentar a oferta . O consumo de carne de porco é vital para a cultura chinesa e a disponibilidade é importante neste fim de semana, quando a China comemora seu segundo maior feriado do ano.

A liberação de reservas locais é o exemplo mais recente de como a China está tentando lidar com a crise - mas mesmo isso pode não ser suficiente para resolver o problema, dizem especialistas. O maior mercado de carne suína do mundo foi devastado por um surto de peste suína africana e perdeu mais de 100 milhões de porcos no ano passado, por causa de doenças ou porque os agricultores não querem reabastecer os porcos depois que morrem. O declínio na oferta de suínos elevou os preços da carne suína em quase 50% no ano passado.

Nesta quinta-feira, a cidade de Jinan, no leste da China, se tornou o mais recente governo local a anunciar que liberaria algumas de suas reservas congeladas de carne de porco. O governo começou a liberar carne de porco para coincidir com as comemorações do feriado deste fim de semana, de acordo com relatos da mídia estatal. Ele lançará outra rodada de carne de porco ainda este mês, antes do 70º aniversário da República Popular da China, em 1º de outubro. No total, Jinan planeja liberar 1.500 toneladas de carne de porco durante o próximo mês.

Redação SI com informações CNN internacional
Deixe seu Recado