Basf SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Mercado Externo

Comerciantes da Tailândia pedem ao governo que importe carne suína com alta dos preços locais

Preços altos estão afastando os consumidores e comerciantes não estão conseguindo vender toda a carne 

Redação com informações de The Thaiger
10-Jan-2022 09:39 - Atualizado em 10/01/2022 11:56

O preço da carne suína subiu na Tailândia e muitos comerciantes estão exigindo que o governo importe carne suína rapidamente para controlar a flutuação dos preços. Eles dizem que os preços altos estão afastando os consumidores e não estão conseguindo vender toda a carne.

Um comerciante de carne suína no mercado Huai Khwang de Bangkok disse ao Bangkok Post que se o governo não intervir e ajudar, o preço da carne suína será vendido a 300 baht por quilo. Nesse ritmo, é muito caro para muitos clientes comprarem.

Com o aumento acentuado do preço, vendas caíram mais da metade. Uma consumidora disse que  está de mãos atadas e precisa comprar menos do que antes.

Para ajudar a controlar o preço da carne suína e combater a escassez, o governo tailandês proibiu urgentemente a exportação de suínos vivos. Está definido para estar em vigor pelos próximos três meses.

O governo também realizou uma pesquisa para identificar os suprimentos de suínos vivos e congelados do país. O resultado os ajudará em seus próximos passos para superar o problema. O Diretor do Departamento de Comércio Interno designará equipes para avaliar a oferta de carne suína em todo o país. O plano é avaliar o estoque de carne suína do país a cada semana até que a crise seja resolvida. O governo decidiu suspender as exportações de suínos até 5 de abril, enquanto solicita relatórios semanais de fazendas, comerciantes e operadores de suínos.

Por último, o porta-voz do governo disse no domingo passado que isso não tem nada a ver com os rumores sobre o surto de peste suína africana, que o Departamento de Pecuária está monitorando de perto.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade