Guia Gessulli
23-Jan-2018 16:18 - Atualizado em 23/01/2018 16:51
Comentário

Conectividade é obstáculo ao agronegócio digital no Brasil - por Valter Bampi

personalidades, fotos atualizadas ,
Personalidades
Redes sociais, aplicativos, fóruns online, portais especializados, softwares que facilitam vida no campo com instrumentos de gestão ou mesmo de controle remoto de máquinas, as possibilidades da agricultura digital são muitas, mas costumam esbarrar na carência de conectividade em áreas rurais. Sem acesso à internet, o produtor pode desconhecer tudo o que o mundo virtual lhe oferece.

Se você está lendo esse artigo em um computador na sede da fazenda, pode se considerar privilegiado, pelo smartphone em meio à lavoura, seu caso é ainda mais raro. Apesar de a cobertura de internet 3G chegar a quase 90 % dos municípios brasileiros, fica difícil encontrar sinal em toda área da propriedade. Poucos são os produtores que contam com um link de satélite ou que sejam capazes de montar rede de wifi, a internet sem fio. Assim, a conectividade acaba sendo restrita à área de administração das fazendas ou a algumas máquinas, ficando mais distante do coração da vida no campo, que é a lavoura.

Sem acesso à rede, o agricultor se afasta das inúmeras possibilidades do mundo digital, não consegue testá-las e pode até mesmo desconhecê-las. Um exemplo são os aplicativos voltados ao agronegócio que dependem da conexão para diagnosticar pragas ou calcular aplicação de defensivos. Embora o déficit de conectividade atrase a adoção de recursos tecnológicos pelos produtores rurais, é cada vez maior o interesse pela agricultura digital e suas possibilidades.

A razão para isso está na mudança de perfil do agricultor brasileiro, a nova geração se ligou desde cedo aos centros urbanos, encontrou redes sociais na escola, conheceu tecnologias, voltou ao campo trazendo a conectividade como benefício. No meio digital, se informa, se comunica, troca-se ideias com parceiros que cultivam uma mesma cultura antes de buscar mão de obra técnica.

A comunicação via redes sociais é só uma amostra do potencial da tecnologia no campo. Fora do Brasil, esse canal é mais utilizado para troca de informação técnica e busca por maior produtividade. Aqui, também há exemplos positivos de aproveitamento da internet como provedora de soluções no agronegócio. Grandes empresas vêm utilizando seus canais online para um contato mais próximo com o consumidor, apresentando produtos, fazendo pesquisas e divulgando informações.

Isso não acontece apenas no Facebook, rede social mais utilizada no mundo, no Youtube, por exemplo, grandes fabricantes de maquinário agrícola mantêm canais de vídeos no qual não apenas divulgam produtos, mas também dão dicas de uso e manutenção destes. Além de aplicativos, rede sociais, máquinas que funcionam remotamente em conceito moderno de Internet das Coisas, uma próxima demanda a ser atendida compreende softwares de gestão das fazendas e relacionamento com clientes. Eles existem, embora haja carência de opções e, principalmente, de soluções específicas a determinadas atividades do agronegócio.

Redação
Deixe seu Recado