Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

Conheça a atual visão do consumidor brasileiro sobre a carne suína

Por Pedro Carvalho - Assuvap/Coosuiponte

Redação SI
07-Jan-2020 08:05 - Atualizado em 07/01/2020 08:36

A pesquisa “Carne Suína: a atual visão do consumidor” exibiu dados inéditos sobre a cadeia suinícola brasileira, a partir de entrevistas, entre fevereiro e agosto de 2019, com 1.300 consumidores, profissionais de saúde e varejistas de 26 estados, mais o Distrito Federal. A Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga (Assuvap) teve acesso ao conteúdo completo da pesquisa, elaborada pelo especialista Francisco Rojo, diretor da Rojo Marketing de Alimentos, sob coordenação da ABCS e com apoio do Sebrae e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS).

Abaixo, compilamos as principais informações deste estudo e repassamos, ao suinocultor, os dados que nos permitem compreender a evolução da proteína ao longo dos anos, apontando as tendências, os desafios e as oportunidades que estão por vir. E entre as informações que merecem destaque, está a melhora na imagem da proteína por parte da população. Segundo Rojo, a carne suína vem sendo cada vez mais recomendada pelos profissionais da saúde como parte de uma dieta saudável; somado a isso, a qualidade e os preços competitivos resultam no aumento de 15,9% no consumo em 2018, alcançando os atuais 14,2 Kg per capita/ano.

Imagem da carne suína (Visão do consumidor)

A pesquisa constatou que “é muito evidente”, em todos os grupos estudados (brasileiros entre 16 e 75 anos), a percepção de melhoria da imagem da carne suína, por ser considerada “saudável” e “recomendada por nutricionistas”, “mais barata e prática”, “saborosa”, “menos gordurosa” e por ser, também, “carne branca”.

Todos os segmentos pesquisados demonstram a preocupação com a alimentação saudável, e a carne suína também tem melhorado a sua imagem neste quesito, em partes, devido a disseminação de informações por meio da mídia, publicações especializadas e recomendações de profissionais de saúde.

Por outro lado, segundo o estudo, ainda persistem, principalmente nos segmentos com mais idade, em proporções muito pequenas, declarações que remetem a alguns mitos que envolvem a carne suína, como a presença do “bichinho que dá no cérebro” [cisticercose], embora seja, comprovadamente, afirmação equivocada.

,
img 1

Visão dos profissionais de saúde

O estudo identificou que a busca e a importância de uma alimentação mais saudável está presente em todos os segmentos pesquisados, prevalecendo o conceito do equilíbrio entre os alimentos. Neste ponto, a carne suína é recomendada de forma crescente por profissionais de saúde como uma opção que pode compor as refeições mais saudáveis, devido sua variedade de cortes que são leves e saudáveis, com boas formas de preparo e o processo produtivo controlado e de qualidade. Por outro lado, os mesmos profissionais alertam seus clientes sobre os cortes que possuem muita gordura e, portanto, devem ser consumidos com moderação.

Conforme o infográfico, preparado com base no estudo, a carne suína foi a única proteína que apresentou relevante crescimento na indicação dos profissionais de saúde ao longo dos últimos anos.

,
img2

Cresce o consumo de carne suína no Brasil

O consumo de carne suína vem crescendo ao longo dos anos e sua presença na mesa das famílias está cada vez mais frequente. De acordo com a pesquisa, 76% dos entrevistados consomem a proteína e a cada 7,5 dias a colocam na mesa. Outra grande conquista do setor é o crescimento em 30% do hábito de consumo, se comparado a 2015.

O próximo infográfico ilustra claramente esta maior frequência de consumo de carne suína. Hoje, os entrevistados optam por consumir a proteína toda semana, enquanto em 2008, o faziam apenas três vezes ao mês. É possível perceber, no entanto, que a carne suína tem, ainda, grande oportunidade de ampliar estes números nos próximos anos, principalmente quando comparamos com as carnes bovinas e de aves.

,
img3

Influência nas escolhas

Segundo o especialista, alguns pontos foram cruciais para a crescente do segmento, sendo o principal, a saudabilidade. Mas o consumidor define outros atributos que influenciam na decisão de compra da carne suína, como a boa relação benefício/custo, conforme o infográfico.

,
4

Supermercados ou açougues?

A pesquisa revelou uma diferença em relação aos locais de compras de carne suína. Em comparativo com estudos anteriores, há um notório movimento de crescimento dos açougues e casas especializadas e uma redução dos supermercados, no entanto, os supermercados ainda são a preferência da maioria dos entrevistados.

,
5

Desafios e oportunidades

Com base nos dados levantados, a pesquisa ilustra a transformação da realidade da carne suína nos últimos 25 anos e reforça que, atualmente, a proteína é tecnicamente saudável, possui cortes com baixos níveis de gordura e colesterol e não há mais o risco da cisticercose, quando produzida dentro dos atuais padrões e controles de qualidade. Mais que isso, o estudo conclui que a mudança de comportamento do consumidor é resultado dos avanços conquistados pelo setor, nos últimos anos, na constante busca pela conveniência e praticidade em todos os âmbitos da produção. A indústria passa a desenvolver alternativas para oferecer maior variedade de cortes e similaridade com as opções da carne bovina, ao mesmo tempo em que os trabalhos de marketing realizados pelas associações do setor influenciam profissionais de saúde e a cadeia de distribuição.

No entanto, o estudo conclui que o conhecimento e imagem da carne suína ainda não está suficientemente disseminado em todos os segmentos (profissionais de saúde, varejo e, principalmente, consumidores), ou seja, precisa-se de maior esforço para mudar o hábito da população em relação à carne suína. Mas, de forma geral, o estudo avalia que a percepção é positiva: “Nas pesquisas com consumidores, que foram objeto de maior aprofundamento, percebe-se claramente que as informações sobre a carne suína estão presentes em todos os segmentos”.

Ao final, a pesquisa de Rojo conclui que a mudança está em andamento, mas é preciso tempo para a consequente mudança de hábito. “É bastante evidente que temos um produto com padrões de qualidade internacionalmente aceitos, no entanto, a realidade da carne suína, já reconhecida pelos formadores de opinião, ainda precisa de um esforço mercadológico maior e mais intenso para efetivamente trazer todos os segmentos da sociedade ao mesmo nível”.

Assuntos do Momento

Preço do suíno vivo sobe em vários estados
20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do suíno vivo sobe em vários estados

Após um começo de mês nada animador para o segmento, a última semana registrou novos aumentos em várias praças. Valor poderia ser maior, mas baixo poder aquisitivo da população segue impedindo.

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo
16 de Setembro de 2021
Custos

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo

Quadro afeta especialmente os produtores independentes, que têm menos poder de fogo nas negociações de grãos para ração

Disponible en español Disponible en español
O endividamento e as oscilações de preços fazem com que muitos suinocultores na China abandonem a esperança de retorno
14 de Setembro de 2021
Mercado Externo

O endividamento e as oscilações de preços fazem com que muitos suinocultores na China abandonem a esperança de retorno

Para capitalizar a duplicação dos preços em 2019, os cinco maiores produtores de carne suína procuraram  se expandir rapidamente e aumentaram sua dívida bruta em quase três vezes em dois anos e meio

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

16 de Setembro de 2021
Bloqueios nos embarques

Mais quatro países suspendem compras de carne do Brasil após caso de vaca louca

Além de China e Arábia Saudita, Egito, Irã, Indonésia e Rússia adotaram a medida após a confirmação da doença em Minas Gerais e Mato Grosso

China compra até 6 cargas de soja do Brasil para outubro/novembro, dizem traders
16 de Setembro de 2021
Exportação

China compra até 6 cargas de soja do Brasil para outubro/novembro, dizem traders

Os acordos foram assinados em momento em que terminais de exportação ao longo da Costa do Golfo dos Estados Unidos, na Louisiana, o polo de transporte de grãos mais movimentado do país, têm buscado se recuperar de danos

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade