Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Assine a Revista Revista Digital Anuncie
TvGessulli

DESTAQUES - Brasil deve continuar exportando mais carne em 2021, aponta Rabobank

Um resumo das principais notícias dos portais Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial

Redação
27-Nov-2020 09:34 - Atualizado em 01/12/2020 08:22

O México abriu seu mercado para os ovos do Brasil. O Governo brasileiro foi informado pelas autoridades mexicanas da aprovação do Certificado Zoossanitário Internacional proposto para a exportação de ovos de aves, subprodutos e partes, o que abre as portas do mercado mexicano às exportações brasileiras desses produtos. A informação foi dada em nota conjunta, publicada pelo Mapa e o Ministério das Relações Exteriores.

A Lar Cooperativa e a Copagril divulgaram, na terça-feira (24), uma nota firmando aliança estratégica de intercooperação. Conforme o documento, a Lar fará a aquisição da Unidade Industrial de Abate de Aves e da Unidade Industrial de Rações, pertencentes à Copagril e localizados no Município de Marechal Cândido Rondon e Entre Rios do Oeste, respectivamente. A intercooperação deve ser iniciada em 2 de janeiro de 2021 e o processo de transição assim que ocorrer aprovação pelos órgãos responsáveis.

O Brasil deverá manter trajetória de crescimento nas exportações de carne de frango em 2021. Em relatório divulgado nesta quarta-feira (25), o Rabobank projeta um novo aumento nas exportações de carne de frango, de 1% em 2021. Isso porque, apesar da projeção de aumento de 15% na produção chinesa de carne de frango neste ano e da recuperação do rebanho suíno a um nível pouco abaixo dos surtos de peste suína africana que atingiram aquele país prevista para o próximo ano, a Arábia Saudita está retomando as compras da proteína brasileira.

AveSui2021_dentro

O mercado suinícola brasileiro deverá quebrar novos recordes de exportação em 2021. A projeção é do Rabobank. As exportações serão novamente guiadas pela China, apesar de o país recuperar boa parte do seu rebanho perdido para a peste suína africana.

O Rabobank cita novos componentes que devem contribuir para o avanço das exportações brasileiras para além da marca de 1 milhão de toneladas embarcadas. A PSA continua sendo elemento chave, uma vez que assola outros países importantes do sudeste asiático, como Vietnã e Filipinas. No entanto, outro ponto importante foi a entrada da doença no território da Alemanha.

Os preços do suíno vivo começaram a recuar nos estados produtores, conforme levantamento feito com base nas bolsas estaduais. Em Minas Gerais, os preços haviam atingido os R$ 9,80 o quilo no começo de novembro, mas nesta semana recuaram a R$ 9,10. No Rio Grande do Sul, o preço que estava constantemente batendo recordes de alta também voltou a cair, aponta a Associação dos Criadores de Suínos no Rio Grande do Sul (Acsurs). Confira todos os valores da Bolsa de Suínos na Análise de Mercado, nos portais da Avicultura e Suinocultura Industrial.