Guia Gessulli
18-Out-2019 08:23 - Atualizado em 18/10/2019 10:07
TV Gessulli

Destaques: Paraná livre de vacinação, exportações e os países que vão precisar de mais proteína animal

Semanalmente os portais Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial resumem os principais fatos da semana

Resumo da Notícia

  • Até a segunda semana de outubro as exportações de carne de frango in natura somaram 150,5 mil toneladas remessadas ao exterior.
  • O preço pago por tonelada registrou nova desvalorização.
  • Já as exportações de carne suína in natura somaram 28,7 mil toneladas remessadas ao exterior
  • A produção de carne suína das Filipinas deve registrar uma queda de 16,4% em 2020 e como resultado o país vai ampliar as importações de carne suína
  •  O Vietnã, outro país que sofre com a PSA  já comprou 165% a mais no acumulado de 2019.
  • O Paraná deixará de vacinar os rebanhos de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa a partir de 31 de outubro

Até a segunda semana de outubro as exportações de carne de frango in natura somaram 150,5 mil toneladas remessadas ao exterior. Uma soma US$ 237,1 milhões até esta segunda semana do mês. O preço pago por tonelada registrou nova desvalorização. Na primeira semana do mês eram pagos US$ 1597,4 caindo na segunda semana para US$ 1.575,7. Na comparação com setembro, o valor é 3,9% menor. Porém na  comparação com outubro de 2018 esse valor é 3,1% maior, visto que no período eram pagos US$ 1549,3 por tonelada embarcada.

Já as exportações de carne suína in natura somaram 28,7 mil toneladas remessadas ao exterior. Os primeiros nove dias úteis do mês registraram uma média diária de 3,2 mil toneladas, 34,6% maior que a registrada em setembro e 29,2% maior que a média registrada para o mês de outubro de 2018. Com os surtos de PSA na Ásia e na Europa não é só a China que tem precisado de mais proteína animal. A produção de carne suína das Filipinas deve registrar uma queda de 16,4% em 2020 e como resultado o país vai ampliar as importações de carne suína, e o Brasil pode se beneficiar disso.

 O Vietnã, outro país que sofre com a PSA e que tem uma produção de carne suína maior, já comprou 165% a mais no acumulado de 2019.

O Paraná deixará de vacinar os rebanhos de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa a partir de 31 de outubro. A suspensão da vacinação foi autorizada por instrução normativa assinada nesta terça-feira (15) pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o governador Carlos Massa Ratinho Junior, no Palácio Iguaçu.A medida, que proíbe o uso e a comercialização da vacina no Paraná a partir do final deste mês atende o compromisso do Estado de conquistar o status de área livre da aftosa sem vacinação. O fim da vacinação dará início à campanha de cadastramento obrigatório de um rebanho de 9,2 milhões de cabeças, com vigilância sanitária redobrada.

A TV Gessulli esteve na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), da Universidade de São Paulo (USP), em Pirassununga, onde o Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal tem desenvolvido projeto de bem-estar animal coordenado pelo professor doutor, Adroaldo Zanella. Confira a reportagem completa em nossos portais ou em nosso canal do Youtube.

 

 

Redação AI/SI
Deixe seu Recado