AveSui2021
21-Ago-2020 09:26 - Atualizado em 21/08/2020 09:48
TvGessulli

DESTAQUES - Vetos ao frango brasileiro e o suíno a preços históricos

Um resumo das principais notícias nos portais da Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial

Hong Kong decidiu vetar as importações de carne de frango da Aurora após a China afirmar ter encontrado traços do novo Coronavírus em asas de frango congeladas da cooperativa. A região autônoma chinesa foi o segundo destino a embargar as importações da proteína brasileira, depois das Filipinas. Após o novo embargo, o governo brasileiro decidiu enviar os adidos agrícolas de Pequim até a cidade de Shenzeng, no sul da China, para tentar apurar melhor o suposto caso de contaminação.

A decisão de Hong Kong tem mobilizado o setor. A ABPA afirmou a que está apoiando a sua associada Aurora para a apresentação dos esclarecimentos, com bases técnico-científicas. A entidade aponta que também apoiará o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento dentro das tratativas com as autoridades de Hong Kong, para que a situação se clarifique e se reestabeleça e, se preciso, apoiará a ida do país contra Hong Kong na Organização Mundial Comércio.

Amostras de frango congelado importado do Brasil testaram negativo para a Covid-19 após exames em Hong Kong, anunciou o Centro de Segurança Alimentar local na quarta-feira (18). Conforme o órgão sanitário da região autônoma chinesa, todas as 40 amostras coletadas dos lotes importados do Brasil testadas. Os testes foram feitos como medida de prevenção depois que a prefeitura de Shenzhen, que fica nas proximidades, anunciou que detectou a presença do novo coronavírus no produto brasileiro.

E a cooperativa Dália anunciou nesta semana que pode exportar carne de frango a países de origem muçulmana. O frigorífico de frango da cooperativa, localizado em Palmas, cidade de Arroio do Meio, recebeu Certificado Halal, emitido no dia 10 de agosto. A partir de agora, um Certificado Halal será emitido para cada lote produzido apenas se forem cumpridas as normas previamente estabelecidas.

A cooperativa Primato anunciou que investirá 250 milhões em cinco anos. Os investimentos serão distribuídos em instalação de uma nova Loja Agrícola e Agropecuária (na BR-163) e transformação digital da cooperativa. Além disso, construirá umaunidade de recebimento de cereais em Novo Sarandi.

Os preços do suíno vivo registraram salto de até 75,9% no período de um ano, de acordo com levantamento do portal Suinocultura Industrial, com base nos dados da bolsa de suínos dos estados. Em Minas Gerais e Goiás, que têm o mesmo patamar de referência do mercado, o quilo do animal vivo chegou a R$ 7,80 nesta semana – o maior valor no país. Há um ano, o suíno vivo era comercializado a R$ 4,50 nesses estados.

A maior valorização em termos nominais – sem levar em conta inflação do período – foi registrada no Paraná. Em meados de agosto de 2019, o quilo do suíno vivo custava R$ 3,95. Já nesta semana, o valor chegou a R$ 6,95. A elevação no período de um ano foi de 75,94%.

Redação
Deixe seu Recado