AveSui2021
25-Ago-2020 10:00
Comentário

Dietas para leitões desmamados precocemente

O manejo de desmame precoce é o período mais delicado da vida do leitão pois a separação do contato com a mãe, mudanças de ambiente e troca no alimento realizadas de forma abrupta causam um grande estresse

Um dos manejos imprescindíveis realizados na suinocultura comercial é o desmame precoce. Esse manejo permite um maior aproveitamento da capacidade reprodutiva da porca e melhor uso das instalações, resultando em um maior número de leitões produzidos por matriz por ano. Porém, o manejo de desmame precoce é o período mais delicado da vida do leitão pois a separação do contato com a mãe, mudanças de ambiente e troca no alimento realizadas de forma abrupta causam um grande estresse e, consequentemente, alterações fisiológicas, para as quais são necessárias intervenções para amenizar esse quadro. Um fator crítico, neste sentido, é a alteração brusca da fonte de nutrição até então composta pelo leite materno, o qual é substituído pelo alimento sólido em comedouros, com menor digestibilidade e palatabilidade (CAMPBELL et al., 2013).  

As dietas denominadas creep feed são dietas destinadas a leitões no período pré-desmame que surgiram com o objetivo de auxiliar a adaptação do leitão a uma dieta sólida (Marcolla, 2014). As rações utilizadas em creep feed são fornecidas de maneira voluntária em comedouros específicos desenvolvidos para os leitões, fora do contato da porca, onde os leitões passam a ter contato com os ingredientes de rações que serão fornecidas no período pós desmame. Porém, com um balanceamento correto dos ingredientes para atender essa fase e que não cause prejuízo ao desempenho de leitão.

Para ter sucesso nesta tecnologia, é necessária a utilização de dietas com alta complexidade utilizando o conceito de proteína ideal, diminuindo ao máximo a inclusão de ingredientes menos recomendados para leitões jovens como o farelo de soja, utilizando ingredientes de alta digestibilidade, tais como: plasma, farinha de peixe, soro de leite, lactose e milho pré-gelatinizado. Outro fator importante é fornecer uma ração atrativa para os leitões para que os mesmos iniciem o consumo voluntariamente e que não cause transtornos entéricos. SOBESTIANSKY et al., 1998, recomenda que animais que serão desmamados com três semanas de idade ou mais recebam dietas com ingredientes altamente digestíveis a partir do sétimo dia de vida.

Portanto, o fornecimento deve se iniciar na segunda semana após o nascimento e é de fundamental importância a atenção nos seguintes pontos;  

1-      Comedouros limpos e secos no momento do fornecimento;

2-      Higienização dos comedouros todos os dias;

3-      Fornecimento de pouca ração por vez, aumentando de acordo com o consumo;

4-      Evitar sobras de ração no comedouro;

5-      O comedouro deve, de preferência, ficar próximo ao comedouro da porca evitando colocar na traseira da gaiola, por ser o local onde há o acúmulo de fezes e urina.

O modelo do comedouro é outro ponto importante, pois ao mesmo tempo em que ele deve ser de fácil acesso aos leitões, tem de ser capaz de impedir que os leitões defequem, urinem e joguem a ração para fora, evitando assim o desperdício. Os comedouros tipo linear são desenvolvidos para que vários leitões se alimentem ao mesmo tempo, comportamento similar ao posicionamento junto aos tetos da mãe durante a mamada (Marcolla, 2014), porém muitas vezes os leitões se posicionam perpendicular ao comedouro evitando acesso dos demais. Já o comedouro circular facilita o acesso a vários leitões ao mesmo tempo e o aro de proteção da bandeja impede que o leitão deite e defeque dentro do comedouro.

A ingestão de colostro e leite materno ainda é a chave para o adequado suprimento de energia na fase de aleitamento, uma vez que leitões bem alimentados podem dobrar de peso na primeira semana de vida (XU e CRANWELL,2003).

Vale ressaltar que a função das dietas creep feed é auxiliar na adaptação às dietas sólidas do período pós-desmame e não devem ser utilizadas na tentativa de corrigir problemas de manejo com os leitões ou baixo ganho de peso da leitegada causado por baixa produção de leite da porca. Neste caso, outras ações devem ser tomadas para correção.

 

,
a

Frederico Guimarães de Almeida Graça é médico veterinário e assessor Técnico Vaccinar - Suínos

 

 

Redação SI
Deixe seu Recado