Alltech
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Dólar abre em queda após elevação da taxa Selic para 3,50% ao ano

Na quarta-feira, a moeda norte-americana fechou em queda de 1,20%, a R$ 5,3647

Redação com informações de G1
06-Mai-2021 09:08

O dólar abriu em queda nesta quinta-feira (6), com os investidores avaliando a trajetória da inflação e da curva de juros no país após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central ter decidido elevar a taxa Selic para 3,50% ao ano.

Às 9h07, a moeda norte-americana caía 0,53%, a R$ 5,3364.

Na quarta-feira, o dólar fechou em alta de 1,20%, a R$ 5,3647. Na parcial da semana e do mês, tem queda acumulada de 1,22%. No ano, o avanço é de 3,42%.

Cenário

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) elevou nesta quarta-feira a taxa Selic em 0,75 ponto percentual, de 2,75% para 3,5% ao ano. Segundo analistas, uma nova alta de 0,75 ponto percentual deve ocorrer também na próxima reunião, em junho.

No comunicado, o Copom indicou um processo de normalização parcial da taxa de juros, mas pontuou que "não há compromisso com essa posição e que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar o cumprimento da meta de inflação."

Em Brasília, a CPI da Covid chega nesta quinta-feira ao terceiro dia de depoimentos. Durante a sessão, serão ouvidos o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres.

No Exterior, o banco central britânico manteve sua taxa básica de juros na mínima recorde de 0,1% e o tamanho de seu programa de compra de títulos em 895 bilhões de libras (1,24 trilhão de dólares), como esperado pelo mercado, uma vez que a economia britânica mostra sinais de recuperação do impacto provocado pelo coronavírus.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade