15-Mai-2018 11:53 - Atualizado em 15/05/2018 13:38
"Hotéis de suínos"

Empresa chinesa constrói prédios de até 13 andares para criação de suínos

A Guangxi Yangxiang Co Ltd está construindo dois prédios de sete andares para criação de porcos e deve iniciar mais quatro, incluindo um com 13 andares

A empresa chinesa Guangxi Yangxiang Co Ltd está construindo dois prédios de sete andares para criação de porcos e deve iniciar mais quatro, incluindo um com 13 andares e será o edifício mais alto do mundo desse tipo, de acordo com publicação da Reuters.

Fazendas de porcos de dois ou três andares foram testadas na Europa, afirma a publicação. Algumas ainda estão em operação, outras foram abandonadas, mas poucos foram construídos nos últimos anos, devido a dificuldades de manejo e resistência pública a grandes fazendas intensivas.

A medida ocorre enquanto a China tenta impulsionar sua agricultura, buscando se tornar a maior detentora de rebanhos de porcos do mundo. As construções ocorrem na montanha Yaji, local que parece improvável para uma enorme fazenda de criação. Em uma estrada estreita, longe das aldeias, enormes edifícios de concreto de porco têm vista para um vale de densa floresta.

A montanha, no entanto, é relativamente próxima de Guigang, uma cidade com um porto fluvial e conexões fluviais para o Delta do Rio das Pérolas, uma das regiões mais densamente povoadas do mundo.

Empresas como Yangxiang estão injetando mais dinheiro nos prédios - cerca de 30% a mais do que em fazendas modernas de um único andar -, mesmo com os preços dos suínos em queda na China há oito anos.

Yangxiang abrigará 30.000 matrizes em sua área de 11 hectares até o final do ano, produzindo até 840.000 leitões por ano. Isso provavelmente fará dela a maior e mais intensiva fazenda de criação global. Uma fazenda de criação mais típica no norte da China teria 8.000 matrizes em cerca de 13 hectares.

Yangxiang gastou 16 mil yuans por porca em sua nova fazenda, cerca de 500 milhões de yuans no total, sem incluir o custo dos porcos.

Construir para cima significa custos mais altos e maior complexidade, como a entrada de tubulação nos edifícios, disse Xue Shiwei, vice-presidente de operações da Pipestone Livestock Technology Consultancy, uma unidade chinesa de uma empresa de manejo agrícola dos EUA.

"Economizaria em terra, mas aumentaria a complexidade da estrutura, e os custos de concreto ou aço seriam maiores", disse ele à Reuters.

Preocupações com a saúde também aumentam os custos, porque o risco de doenças desenfreadas - um problema sempre presente no setor pecuário da China - é maior com mais animais sob o mesmo teto.

Até mesmo fazendas de dois andares na Europa provocaram preocupações de que os porcos receberão menos cuidados, disse Irene Camerlink, especialista em bem-estar animal da Universidade de Medicina Veterinária em Viena, que trabalhou com fazendas chinesas.

Qualquer surto de doença pode levar a abate extensivo, disse ela à publicação.

Redação SI / com informações da Reuters
Deixe seu Recado