AveSui2021
09-Jan-2020 11:18 - Atualizado em 09/01/2020 11:32
Disponible en español
América Latina

Escassez de carne suína se estende no início de 2020 em Cuba

Em Holguín, consumidores relatam falta de carne nos mercados 

A escassez de carne de porco e a presença de currais vazios demonstram apenas aos cubanos que a escassez deste produto nos últimos dias de 2019 se estende até o início de 2020.

O jornal Diario de Cuba entrevistou moradores da localidade de Mayarí, em Holguín, que denunciaram e lamentaram que a produção do referido animal não fosse suficiente para a demanda das férias de fim de ano.

Xiomara, uma enfermeira aposentada, disse que a carne não é vista no mercado da cidade há muito tempo, e também não há presença de suínos vivos.

A enfermeira lembrou que em ocasiões anteriores havia venda de carne barata pelo Estado e os comerciantes privados tinham bastante.

Um produtor ndependente identificado como Adriel disse ao jornal que o preço máximo de 25 pesos por libra de carne de porco era insuficiente e, portanto, não tinha escolha a não ser aumentá-lo para 28."Eu tive que subir até 28 porque paguei os animais a 16 libras a pé nas montanhas, quase chegando à província de Santiago de Cuba", explicou ele, lembrou também que a viagem lhe custou mil pesos pelo preço do combustível.

Além da crise econômica, o declínio da produção suína em Mayarí é acompanhado pela prisão de Bismar Rodríguez, acusado de “enriquecimento ilícito” , que foi o maior criador da região por meio da empresa suinícola HOLPOR.

Isso levou ao desaparecimento de um esquema eficiente em que vários criadores participaram e também ao aumento da infraestrutura abandonada, conta o jornal cubano.

A situação das granjas vazias também se deve à falta de ração para animais.

A mídia independente indicou que, na criação de suínos nas montanhas por meio de frutas e palmiche, é a única coisa que impede que a carne preferida pelos cubanos ainda esteja presente em Mayarí.

 

 

 

Redação SI
Deixe seu Recado