Guia Gessulli
18-Set-2018 08:02 - Atualizado em 18/09/2018 17:08
Peste Suína Africana

Estados bálticos abatem 35.000 suínos

Enquanto a Febre Suína Africana (PSA) se espalha pela China e penetra na Europa Ocidental, a imagem nos Estados Bálticos continua a ser muito complicada. A Letônia e a Lituânia tiveram que abater no total quase 35.000 porcos.

Na Lituânia, o surto ocorreu na fazenda Idavang, perto de Akmene, no norte do país. Foi o maior surto do país nos últimos três anos, de acordo com o Serviço Estadual de Alimentação e Veterinária do país. Além disso, foi a 2ª vez para a PSA atinge uma instalação de produção de Idavang. Em 2014, como resultado de um surto de PSA , as perdas totais foram de até 19.000 suínos. Nesta instalação, em 2018, 19.500 cabeças tiveram que ser abatidas.

Alguns dias antes, na vizinha Letônia, o surto da PSA foi confirmado em uma fazenda chamada Druvas Unguri. Nela, 15 mil porcos tiveram que ser abatidos, transformando este surto no maior caso registrado no país, de acordo com o Departamento de Veterinária e Alimentos da Letônia.

Neste contexto, os países bálticos (Estónia, Letónia e Lituânia) estão a ponderar novas medidas destinadas a melhorar a situação. O ministério da agricultura da Lituânia propôs aos agricultores com uma população abaixo de 100 cabeças para simplesmente abater todos os porcos e mudar para a produção de perus ou coelhos. Os agricultores que concordassem seriam então elegíveis para um subsídio estatal único de € 1.500 mais € 100 por porco na quinta.

As empresas locais de processamento de carne, porém, alarmaram-se com o fato de que uma redução adicional no número de suínos nas fazendas na Lituânia poderia pôr fim às tradicionais salsichas nacionais. Falando à agência local de notícias Delfi, Virgaudas Kanauka, diretor do processador local de carne Kanrugele, disse que, como regra geral, a carne suína importada não é o que essas empresas processadoras locais estão procurando. Afinal, eles estão focados na fabricação de um produto local.

O ministro da Agricultura da Letônia, Janis Duklavs, disse recentemente que a contagem total na Letônia de javalis infectados pela PSA é de 720, um número que se acredita ser maior do que em qualquer ano anterior. Duklavs disse que o governo tem lutado contra a doença por cinco anos, mas até agora nenhum resultado real foi alcançado. Ele disse que medidas especiais devem ser postas em prática, sem especificar seus pensamentos.

Na Estónia, atualmente não se registam muitas notícias relativas à PSA. No entanto, o impacto da doença na indústria suína local também é visto como tremendo. De acordo com uma recente reportagem sobre a PSA no jornal britânico The Guardian , o número de fazendas de suínos na Estônia caiu 7 vezes, de 920 em 2014 para apenas 125 em 2018.

Em agosto, o Ministério da Agricultura da Estônia relatou que, apesar da ausência de surtos em fazendas em 2018, houve 222 javalis encontrados infectados com a doença.

Pig Progress traduzido por redação
Deixe seu Recado