Basf SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
América Latina

Exportações de carne suína do Paraguai caem no final de junho

O nível de volume alcançado no sexto mês do ano supera o total registrado em 2011

Redação com informações de La Nación
11-Jul-2022 08:59 - Atualizado em 11/07/2022 09:10

O setor de suínos do Paraguai fecha o primeiro semestre de 2022 com queda de 65% em termos de volume nas exportações registradas. De janeiro a junho, foram comercializados 935 toneladas entre carnes, miúdos e miudezas, enquanto no mesmo período de 2021 o número chegou a 2.660 toneladas.

Neste contexto, importa referir que este é o menor número expedido. O nível de volume alcançado no sexto mês do ano supera o total registrado em 2011, que foi de 842 toneladas, segundo dados do Banco Central do Paraguai (BCP) e da Associação Paraguaia de Produtores de Suínos (APPC).

Até junho, o setor exportou 366 toneladas de carne suína e um total de 569 toneladas entre miúdos e miudezas, segundo relatório mensal do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa). Em termos de receita, o percentual de redução é de 62. No primeiro semestre, o volume de embarques foi de US$ 1,7 milhão, enquanto em 2021 foi de US$ 4,7 milhões.

Mercados

O relatório do serviço veterinário indica que 80% dos produtos suínos foram destinados ao mercado uruguaio, seguido da Geórgia com 17% de participação e da Armênia com 3%, país que se tornou um novo destino das exportações do segmento suíno.

Cabe mencionar que o Equador está interessado em comprar carne suína paraguaia e atualmente está trabalhando no desenho do circuito de transporte do produto. Da mesma forma, aguardam a autorização do serviço veterinário de Taiwan após a auditoria realizada em maio passado.

Menor demanda

A queda nas exportações se deve em parte à guerra entre Rússia e Ucrânia, que tem impacto em todos os setores econômicos, e há excesso de oferta devido ao fato de a China ter começado a produzir carne suína e reduzido a demanda por importações. Enquanto outros países como Estados Unidos e Brasil entraram em mercados com preços muito competitivos. A mesma situação que o Paraguai vive em outros países da região.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade