Alltech SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Entidade

Fabio Marin assume a presidência da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia

Docente do departamento de Engenharia de Biossistemas da Esalq comandará a gestão 2021/23

Redação, com informações Esalq
18-Nov-2021 16:43

O professor Fabio Marin, do departamento de Engenharia de Biossistemas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) é o novo presidente da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia (SBAGRO). A decisão, tomada em reunião realizada na primeira quinzena de novembro, define o docente da Esalq como presidente da gestão 2021-23.

Segundo o docente, a chapa eleita congrega pesquisadores de todas as regiões do Brasil. “Essa é uma estratégia que dá a essa gestão representatividade em todo o País, uma vez que temos o propósito de fortalecer a aproximação e a troca de informações entre os associados a fim de publicar um livro que traga o estado da arte da agrometeorologia brasileira”, conta Marin.

Uma das frentes para fortalecer a SBAGRO, de acordo com o professor Fabio Marin é investir na divulgação dos trabalhos realizados no âmbito da Sociedade via redes sociais. “Assim pretendemos atrair mais associados, principalmente os pesquisadores mais jovens.

A revista Agrometeoros, publicação da SBAGRO com boa qualificação, é outro elemento que deverá merecer atenção da atual gestão. “Trata-se de uma revista de acesso aberto, reconhecida pelos pares, que traz artigos em português e língua inglesa”. A Agrometeoros aborda as contribuições científicas originais, tópicos especiais, notas técnicas e relatos de experiências relevantes, tanto nacionais quanto internacionais, na área de agrometeorologia.

Marin lembrou ainda que um dos objetivos da gestão que acaba de iniciar é preparar as comemorações dos 50 anos da SBAGRO, a ser celebrado em 2023. “A ideia é trazer o Congresso Brasileiro de Agrometeorologia (CBAGRO) para Campinas”.

Marin – O professor Fábio Ricardo Marin é engenheiro agrônomo formado em 1988 pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). É mestre e doutor em Agronomia pela mesma instituição e tem pós-doutorado pela Universidade da Flórida (2010-2011) e pela Universidade de Nebraska-Lincoln (2018), Estados Unidos, respectivamente nas áreas de concentração em modelagem de crescimento de plantas e análise de eficiência agrícola.  Foi pesquisador da Embrapa entre 2002 e 2013, professor da PUC-Campinas entre 2005 e 2013 e professor da FGV-Agro entre 2008 e 2013. Desde agosto de 2013 é professor na área de agrometeorologia e modelagem agrícola e, em 2014, tornou-se professor associado pelo Departamento de Engenharia de Biossistemas da Esalq. É bolsista de produtividade do CNPq desde 2010 e publicou mais de 100 artigos científicos, 6 livros e mais de uma dezena de capítulos de livros. Na Esalq, coordena o Sistema Tempocampo, que assessora produtores e empresas nos setores de soja, milho e cana-de-açúcar na previsão de safras e na interpretação dos efeitos do clima sobre o desempenho das lavouras.

SBAGRO – A fundação da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia ocorreu em 29 de março de 1973, durante a realização da II Semana de Estudos de Meteorologia Agrícola realizada em Curitiba, PR, com o nome de Sociedade Brasileira de Meteorologia Agrícola. A denominação atual foi atribuída durante a realização do I Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, em julho de 1979, na cidade de Mossoró, RN.  Sua atuação está relacionada às áreas da Agronomia, Meteorologia, Física, Engenharia Agrícola, Hidrologia, Geografia, Biologia, Bioclimatologia, Micrometeorologia, Biofísica, Zoneamento Agrícola, Relações Água-Solo-Planta-Atmosfera, Instrumentação, Sensoriamento Remoto, Geoprocessamento, Estatística, Simulação e Modelagem, Mudanças Climáticas, Recursos Hídricos, Bioenergia e Ambientes Controlados e demais áreas que se relacionam ao estudo do clima aplicado à agricultura, pecuária e florestas.

Assuntos do Momento

População da Coreia do sul paga 20% a mais pela carne suína em meio ao aumento dos custos dos grãos
23 de Maio de 2022
Mercado Externo

População da Coreia do sul paga 20% a mais pela carne suína em meio ao aumento dos custos dos grãos

A inflação ao consumidor da Coreia do Sul acelerou muito mais do que o previsto e atingiu uma alta de mais de 13 anos em abril

Exportações de carne suína somam US$ 78,4 mil na parcial de maio
20 de Maio de 2022
Balança Comercial

Exportações de carne suína somam US$ 78,4 mil na parcial de maio

Em comparação com o mesmo período de 2021 valor por média diária é 30,8% menor. Valor pago por tonelada embarcada também apresenta queda

Em Honduras, importação de carne suína aumenta mais de 50%
25 de Maio de 2022
Mercado Externo

Em Honduras, importação de carne suína aumenta mais de 50%

A indústria de transformação e os fabricantes de embutidos preveem alta de preços para o segundo semestre devido ao aumento dos custos de produção

Média de preço da carne suína na parcial de maio está acima da de abril
26 de Maio de 2022
Mercado Interno

Média de preço da carne suína na parcial de maio está acima da de abril

Segundo pesquisadores do Cepea, no geral, os valores do produto negociado no atacado da Grande São Paulo iniciaram este mês em forte elevação, influenciados pelas aquecidas demandas interna e externa

Bacon e frango não ficarão mais baratos tão cedo
23 de Maio de 2022
Mercado Global

Bacon e frango não ficarão mais baratos tão cedo

Produtores em todo o mundo com mais de 40 bilhões de porcos, vacas, búfalos, ovelhas, cabras e aves enfrentam preços quase recordes para ração animal

25 de Maio de 2022
Mercado Externo

Produção de carne suína da União Europeia cai no início de 2022

Nos dois primeiros meses do ano, o bloco produziu 3,8 milhões de toneladas de carne suína, 3% menos do que no ano anterior, com 40,5 milhões de suínos abatidos, uma queda de 2%

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade