AveSui2021
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Filipinas corta tarifas de carne suína para suprir escassez de oferta

O déficit de carne suína, devido aos surtos de febre suína africana, empurrou os preços locais da carne para cima

Redação
08-Abr-2021 10:27

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, reduziu na quarta-feira as tarifas de importação de carne suína enquanto o governo busca enfrentar a escassez doméstica aumentando as compras do exterior.

O país do sudeste asiático, o sétimo maior importador de carne suína do mundo antes que a demanda local caísse devido à pandemia, planeja importar cerca de 400.000 toneladas de carne suína este ano, mais que o dobro das 162.000 toneladas planejadas anteriormente.

O déficit de carne suína, devido aos surtos de febre suína africana, empurrou os preços locais da carne para cima, fazendo com que a inflação disparasse e ficasse acima da meta anual do banco central de 2% a 4% no primeiro trimestre.

“Há uma necessidade urgente de reduzir temporariamente as taxas tarifárias da Nação Mais Favorecida (NMF) sobre carne suína fresca, resfriada ou congelada para resolver a escassez de oferta de carne suína, estabilizar os preços da carne de porco e minimizar as taxas de inflação”, disse Duterte em uma ordem executiva.

O pedido corta a tarifa de importação de carne suína durante os primeiros três meses; ela é efetiva de 30% para 5% atualmente, e para 10% durante os meses quatro a 12.

Para as importações de carne suína fora do regime de cotas, a tarifa cairá para 15% durante os primeiros três meses, de 40% atualmente, e para 20% no restante do período de 12 meses.

Estima-se que a produção de carne suína nas Filipinas tenha caído 20% no ano passado, já que a doença altamente infecciosa da peste suína africana levou ao abate de mais de 300.000 porcos, ou cerca de 3% da população suína, com base em dados do governo.

Além de aumentar as importações de carne suína, o governo está embarcando em um programa massivo de repovoamento de suínos para aumentar a oferta doméstica de carne.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade