09-Ago-2018 08:08
Evento

"Horizonte futuro da suinocultura é promissor e será marcado por profundas transformações e intensos avanços tecnológicos", diz Alexandre Rosa

Diretor Superintendente da  Agroceres PIC abriu oficialmente o 13º Seminário Internacional de Suinocultura. Para Alexandre Rosa, próximos anos serão desafiadores, mas de férteis oportunidades para a suinocultura brasileira.

Os próximos anos serão de inúmeros desafios, mas também de grandes oportunidades para a suinocultura brasileira. O futuro que se projeta para o setor é promissor e será marcado por profundas transformações, ultrapassando todos os limites da tecnologia disponível e da realidade competitiva como a conhecemos hoje. A avaliação é do Diretor Superintendente da Agroceres PIC, Alexandre Furtado da Rosa, e foi feita, agora a pouco, durante seu discurso de abertura do 13º Seminário Internacional de Suinocultura, que acontece entre 08 e 10 de agosto, em Mangaratiba (RJ).

Segundo o executivo, quando se olha para o horizonte futuro da suinocultura observa-se um cenário rico em oportunidades e ao mesmo tempo, de intensas mudanças e avanços tecnológicos. “O que está no horizonte próximo é uma suinocultura pautada por tecnologias de ruptura, crescimento sustentável da produção, consumo consciente, efervescência nas indústrias e serviços de alimentação, acesso a novos mercados internacionais. Tudo sob o primado absoluto da eficiência e de valores humanistas, sinalizando que essa nova era tem tudo para tornar a suinocultura mais próspera e alentadora em oportunidades, embora mais complexa e plural nos seus desafios.

De acordo com Rosa, os empreendedores e gestores da cadeia produtiva da carne suína serão cada vez mais instados a enfrentar demandas de competitividade, seja por concorrência ou brechas de crescimento. Também serão estimulados a fazer uso de novas tecnologias, para alavancar resultados por meio da inovação. E mais: terão de instrumentalizar novos modelos administrativos para reintegrar os avanços da tecnologia com os conceitos, técnicas e ferramentas de gestão. “A suinocultura brasileira, seus empreendedores e profissionais, sempre deu mostras de sobra de que está preparada para superar mercados desafiadores e construir oportunidades de crescimento em todo tipo de cenário. Basta recordar a história recente do setor e os momentos críticos que viveu, sempre superados com tecnologia, ganhos de escala e evolução nos modelos de negócios”, afirma o executivo.

Desafios permanentes, oportunidades férteis

Todo setor produtivo, explica Alexandre Rosa, cresce por aumento de demanda – seja ela interna ou externa -, mas também pela substituição dos ineficientes. Segundo o executivo, embora esteja cada vez mais tecnificada e competitiva, a suinocultura brasileira ainda apresenta uma grande variação em seus níveis de resultado, o que reflete diretamente em um grande contraste nos seus custos de produção. “Na verdade, ainda há muito espaço para melhorias de eficiência zootécnica, gestão de custos e de riscos, que podem representar um efetivo potencial de expansão para os suinocultores, aproveitando o vácuo de produtores sem competitividade para continuar no negócio. Na suinocultura brasileira atual, há sim oportunidades para crescer, além da evolução da demanda”, afirma.

E como garantir a melhoria contínua da eficiência? Investindo em tecnologias de ruptura em genética, nutrição e sanidade. Adotando modernos modelos de gestão, avançando em automação e assegurando a capacitação permanente dos recursos humanos. “São justamente todos esses temas que vamos discutir em nosso Seminário, sempre com o intuito de apontar caminhos e fortalecer o poder competitivo do nosso produtor”, comenta Alexandre Rosa.

Novas fronteiras de crescimento e lucratividade

Segundo o executivo da Agroceres PIC, a trajetória da suinocultura brasileira, em todo tempo, foi marcada por agudos e contínuos desafios, invariavelmente enfrentados com muita atitude e empreendedorismo pelo produtor, que assim construiu uma sólida e próspera realidade, modernizando-se, aumentando a produção e avançando no mercado interno e externo, sempre fundamentado em tecnologia e aumento de competitividade. “Foi assim que nossa suinocultura se tornou uma das melhores e mais competitivas do mundo. O suinocultor brasileiro fez uma verdadeira revolução tecnológica e de gestão nas últimas décadas. E já se prepara para avançar a um novo patamar de performance nos próximos anos, tanto em eficiência produtiva como em qualidade de oferta ao mercado”, observa.   

 

Para Alexandre Rosa, esse avanço será um novo salto na notável história da suinocultura brasileira, abrindo fronteiras de crescimento e lucratividade para o setor. “Para a Agroceres PIC, esse novo tempo representa o desafio de fortalecer ainda mais a nossa parceria, sempre com inovação e contribuindo com soluções de tecnologia, qualidade e apoio ao produtor”, afirma. “Pois o nosso compromisso, renovado há 41 anos, é fornecer produtos e serviços técnicos que agreguem valor para o suinocultor e toda a cadeia produtiva da carne suína, melhorando continuamente as perspectivas de resultado do nosso setor”, conclui o Diretor Superintendente da Agroceres PIC.

 

O 13º Seminário Internacional de Suinocultura da Agroceres está sendo realizado no Rio de Janeiro e segue até sexta-feira (10/08).

Ascom
Deixe seu Recado