Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Insumos

Importação de grãos com quebra de safra no Brasil aperta logística de adubos, diz Anda

Com a quebra de safra por seca e geadas, o Brasil que já é um grande importador de trigo tem elevado importações de milho

Redação com informações de Money Times e Reuters
04-Ago-2021 16:49

Um aumento na importação de milho e trigo diante da quebra de safra no Brasil, em momento em que a demanda por fertilizantes está forte, deve apertar a logística para escoamento desses produtos importados, disse nesta quarta-feira o diretor-executivo da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

Essa situação já gerou gargalo recente em porto de Santa Catarina, afirmou Ricardo Tortorella, acrescentando que o país importou cerca de 80% do fertilizante consumido em 2020.

O Brasil elevou em 11,1% as importações de fertilizantes em 2020, para 32,87 milhões de toneladas, enquanto a produção brasileira caiu 10,5%, para 6,37 milhões de toneladas, segundo números da Anda apresentados nesta quarta-feira durante seminário promovido pela consultoria Datagro.

Neste primeiro trimestre, afirmou o diretor-executivo da Anda, Ricardo Tortorella, a produção nacional de fertilizante continuou caindo 11%, enquanto a importação disparou 23%.

“O problema de dependência do exterior de certa forma começa a se agravar um pouco mais… há 15 dias, o porto em Santa Catarina teve problemas de muita entrada, isso se agrava conjunturalmente com as geadas”, afirmou ele, em referência à quebra de safra, que resultará em aumento de importações.

Ele apontou que, com a quebra de safra por seca e geadas, o Brasil que já é um grande importador de trigo tem elevado importações de milho.

“Com a possível a perda das safras também concorre a importação, que começa a chegar um pouco maior, em Santa Catarina teve problema com a entrada de fertilizantes”, comentou.

Tortorella disse ainda que o setor terminou 2020 com queda de 8,7% nos estoques finais de fertilizantes, para pouco mais de 6 milhões de toneladas, enquanto a demanda cresceu 11,9% em 2021, e as entregas totais somaram 40,56 milhões de toneladas no ano passado, segundo números da Anda.

Para este semestre, ele disse que o setor precisa de muita atenção para gerenciar a logística.

“Precisa ser bem feito, com muita atenção, para atenuar os riscos…”, comentou ele, ressaltando que a demanda dos produtores está forte, apesar da alta dos preços dos fertilizantes, uma vez que a relação de troca entre produtos agrícolas e insumos segue favorável ao agricultor.

Ele lembrou de problemas de “fluxos de oferta de logística” em 2020, devido a questões ligadas à pandemia, o que colaborou para a alta dos insumos.

A importação de milho pelo Brasil praticamente dobrou no primeiro semestre, para mais de 900 mil toneladas, embora a maior parte tenha vindo do Paraguai, pelo modal rodoviário. Para o segundo semestre, a logística deve se concentrar nos portos, à medida começou a chegar o cereal da Argentina, que vem de navios.

Apenas a companhia JBS já anunciou que está trazendo o equivalente a 30 navios com milho da Argentina, e prevê que o país importará pelo menos 4 milhões de toneladas de milho em 2021.

Em 2020, as importações do cereal somaram 1,37 milhão de toneladas, segundo números do governo.

Assuntos do Momento

19 de Outubro de 2021
Diversidade Cultural

Mais de 120 colaboradores da BRF carimbam o passaporte e atuam em diferentes países

Com experiência no exterior e apoio da Companhia, profissionais enriquecem currículo, compartilham conhecimentos e promovem a diversidade cultural

BRF anuncia mais habilitações de Cingapura para exportação de produtos suínos
22 de Outubro de 2021
Expansão

BRF anuncia mais habilitações de Cingapura para exportação de produtos suínos

Já a unidade de Lucas do Rio Verde (MT) obteve autorização para a venda de suínos e seus miúdos

BRF investe R$ 5,5 milhões em modernização do laboratório industrial em Lucas do Rio Verde
20 de Outubro de 2021
Investimento

BRF investe R$ 5,5 milhões em modernização do laboratório industrial em Lucas do Rio Verde

Estrutura foi ampliada e conta com os mais modernos equipamentos para garantir a qualidade da análise de produtos da Companhia 

22 de Outubro de 2021
Evento

BRF marca presença na Expo Dubai 2020

Companhia mantém importante atuação no mercado Halal com indústrias na região e exportação de produtos a partir de diversas unidades pelo Brasil

Veto da China à carne bovina brasileira já dura mais de um mês e assusta governo
19 de Outubro de 2021
Suspensão

Veto da China à carne bovina brasileira já dura mais de um mês e assusta governo

No início de setembro, o Brasil suspendeu os embarques da proteína ao país asiático depois da confirmação de casos da vaca louca

Brasil conclama China a avançar no comércio de carne
20 de Outubro de 2021
Negociação

Brasil conclama China a avançar no comércio de carne

Embaixador brasileiro diz que o governo acredita em progresso no reconhecimento pela China do status do Brasil como livre de febre aftosa e como um país de ‘risco insignificante’ para a doença da vaca louca

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade