Basf SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
FAO

Índice de Preços da Carne cai em julho

Por outro lado, os preços internacionais da carne de aves atingiram um recorde histórico

Redação
05-Ago-2022 08:01 - Atualizado em 05/08/2022 10:30

A referência para os preços mundiais de commodities alimentares caiu significativamente em julho, com os principais preços de cereais e óleos vegetais registrando declínios percentuais de dois dígitos, informou nesta sexta-feira (05/08) a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O Índice de Preços de Alimentos da FAO, observado de perto, teve uma média de 140,9 pontos em julho, uma queda de 8,6 por cento em relação a junho, marcando o quarto declínio mensal consecutivo desde que atingiu máximas de todos os tempos no início do ano. O Índice, que acompanha as mudanças mensais nos preços internacionais de uma cesta de commodities alimentares comumente negociadas, no entanto, permaneceu 13,1% maior do que em julho de 2021.

“O declínio nos preços das commodities alimentares de níveis muito altos é bem-vindo, especialmente quando visto do ponto de vista do acesso aos alimentos; no entanto, muitas incertezas permanecem, incluindo os altos preços dos fertilizantes que podem afetar as perspectivas de produção futuras e os meios de subsistência dos agricultores, uma perspectiva econômica global sombria e movimentos cambiais, todos os quais representam sérias pressões para a segurança alimentar global ”, disse o economista-chefe da FAO, Maximo Torero.

O Índice de Preços da Carne da FAO também caiu em julho, 0,5 por cento em relação a junho, devido ao enfraquecimento da demanda de importação de carnes bovina, ovina e suína. Em julho, as cotações mundiais de carne ovina caíram acentuadamente, devido ao aumento das disponibilidades de exportação da Austrália em meio a altos abates e expectativas de aumento da oferta de carne ovina, diante da menor demanda de importação. Enquanto isso, os preços internacionais da carne bovina caíram, refletindo o aumento das disponibilidades de exportação das principais regiões produtoras em comparação com a demanda global, enquanto a fraca demanda geral de importação manteve os preços da carne suína estáveis, apesar da oferta restrita de suínos para abate, especialmente nos Estados Unidos da América.

Por outro lado, os preços internacionais da carne de aves atingiram um recorde histórico, sustentado pela firme demanda global de importação e pela escassez de oferta devido aos surtos de gripe aviária no hemisfério norte.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade