Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Assine a Revista Revista Digital Anuncie
Economia

Indústria argentina inaugura usina bioelétrica alimentada com dejetos de suínos e frangos

Alimentada com efluentes suínos, cama de frango e silos de milho ou sorgo, essa usina vai despejar 1MW na rede elétrica

El Economista, com tradução da Redação AI/SI
12-Jan-2021 11:38

Uma usina bioelétrica que fornecerá 1 MW (megawatt) para a rede elétrica foi inaugurada na cidade de General Alvear, em Buenos Aires. O estabelecimento pertence ao grupo empresarial Riccillo, que há 30 anos trabalha com o objetivo de produzir de forma sustentável e agregar valor a cada elo da cadeia, informou oficialmente hoje.

“É uma grande alegria ver que este projeto é uma realidade hoje, que é algo concreto. Essa ideia que estamos vendo aqui hoje não é nem mais nem menos que a possibilidade de muitos empregos no General Alvear, de gerar valor agregado, de fechar um ciclo produtivo”, expressou o ministro do Desenvolvimento Agrário de Buenos Aires, Javier Rodríguez .

Alimentada com efluentes suínos, cama de frango e silos de milho ou sorgo, essa usina vai despejar 1MW na rede elétrica, e, no futuro, o objetivo é construir uma segunda usina bioelétrica, de 2 MW, e começar a transformar o biogás em biofertilizante.

Esteve também presente na inauguração o Ministro da Produção, Ciência e Inovação Tecnológica de Buenos Aires, Augusto Costa, que afirmou que se trata de “um novo empreendimento produtivo na província de Buenos Aires, em General Alvear, que vem encerrar o ciclo produtivo da produção de suínos e aves, transformando seus efluentes em energia elétrica ”

A área de influência produtiva do grupo é Saladillo e General Alvear, onde além da usina bioelétrica possui extensa produção bovina; agricultura; engorda para curral; serviço de hotelaria a terceiros (engordam 50.000 bois-ano); produção de suínos com duas granjas de 2.500 matrizes cada uma com ciclo completo; seis granjas avícolas para a produção de frangos de corte; e uma planta de esmagamento de soja.

AveSui2021_dentro

A Riccillo começou na década de 90 com a produção de suínos, à qual se agregou posteriormente a de bovinos e frangos, além de três rações balanceadas abastecidas pelos 4.000 hectares de semeadura de soja, milho, cevada e sorgo com aqueles que contam.

A indústria também comercializa carne suína, principalmente no mercado interno, e participa de consórcio de exportação.