Alltech
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Projeção

JBS prevê bons resultados nos EUA e na Europa em 2021

Retomada das economias - e do food service - tende a beneficiar negócios da companhia

Redação com informações Valor
25-Mar-2021 16:32

As unidades da JBS nos Estados Unidos e na Europa deverão continuar entregando bons resultados em todas as divisões de negócios em 2021, o que tende a gerar resultados robustos e bons dividendos no próximo anos. Em teleconferência com analistas, executivos da companhia afirmaram que a perspectiva positiva decorre, em boa medida, da retomada da  economia — e do food service — nos dois mercados, com reflexos positivos sobre as demandas domésticas em meio a exportações ainda aquecidas.

“Começamos este ano em uma posição bem mais favorável de demanda do que no ano passado, com mais gado em confinamento e com demanda muito forte nos mercados domestico e externo”, afirmou o CEO da JBS USA, André Nogueira. Segundo ele, a perspectiva de melhora está calcada no retorno do food service nos Estados Unidos e na Europa — onde as reaberturas deverão ganhar força entre maio e junho, se tudo correr bem. Nesse contexto, a JBS USA começa a operar em maio uma nova planta para a produção de bacon.

Mas nem tudo são flores. O boi continua a ser uma dor de cabeça para a empresa na Austrália e no Brasil, espremendo margens nos dois países. A JBS Brasil, que reúne as operações de carne bovina no país — as operações de couro e novos negócios também fazem parte da divisão —, reportou a pior margem Ebitda da companhia no quarto trimestre de 2020, de 5,1%. A arroba teve um aumento relevante, o que é um desafio grande do ponto de vista de rentabilidade, considerando que a cotação chegou a R$ 300.

“O preço do gado vai desafiar bastante a margem, mas a gente sabe que é um cenário cíclico. O preço do bezerro está interessante e faz o pecuarista reter matrizes, o que cria um cenário de oferta restrita a curto prazo e maior produção mais adiante”, afirmou Wesley Batista Filho, CEO da JBS Brasil e América do Sul.

Apesar do cenário de custos elevados, a JBS não deverá reduzir a utilização de capacidade de frigoríficos no Brasil. “A gente vai focar bastante na agregação de valor, na exportação — que vem desenvolvendo muito o mercado — e na eficiência. Por isso não vemos a redução da taxa de utilização como algo no horizonte”.

Questionado sobre como está a utilização dos frigoríficos, estimada em 45% por um analista, o executivo afirmou que o nível está mais elevado, em linha com o ano passado. “Não reduzimos a taxa de utilização de nossas plantas e não temos previsão para fazer isso”, disse Wesley Batista Filho.

No caso dos preços de soja e milho, o executivo destacou que a inflação dos grãos acontece com mais previsibilidade do que o aumento da arroba, o que permitiu que a companhia agisse em meados do ano passado para mitigar os aumentos registrados. Para ele, o cenário de preços de grãos no primeiro semestre de 2021 deverá ser semelhante ao do quarto trimestre de 2020.

Não há dados separados da Austrália, mas a piora da margem da divisão JBS USA Beef — onde as operações australianas estão incluídas — é um indicativo da situação adversa no país. Enquanto a Marfrig, por exemplo, viu a margem do negócio de bovinos na América do Norte aumentar 0,72 ponto, para 13,1%, a JBS registrou queda de 0,4 ponto na margem no quarto trimestre, para 9%.

Os preços do gado e da carne em máximas históricas pesaram sobre o resultado. “A situação só não está negativa porque temos muitos outros negócios e o Grupo Primo. O próximo ano ou ano e meio será muito desafiador na Austrália”, destacou Nogueira.

Já a demanda chinesa por proteína animal deverá continuar em 2021 e a dar suporte aos negócios da companhia. O país asiático passa por um novo surto de peste suína africana e ainda não está claro qual o impacto que a enfermidade terá no crescimento do rebanho chinês.

Gilberto Tomazoni, CEO da JBS, destacou que a China está ampliando o número de matrizes de suínos e, com o preço do leitão em alta, os produtores têm um estímulo natural para investimento na produção. “Ainda que o país importe menos, será um volume muito maior do que o que acontecia anteriormente”, afirmou.

Tomazoni também realçou o crescente número de casos de peste suína africana na Alemanha. “Se a União Europeia voltar a ter problemas, abrirá ainda mais espaço para Brasil e Estados Unidos exportarem”. Nogueira afirmou que a expectativa é muito positiva para a demanda chinesa por proteína americana neste ano, cenário que se estende ao Brasil.

 

Assuntos do Momento

Nutrição de precisão é um novo caminho para a suinocultura
14 de Abril de 2021
Seminário tecnico

Nutrição de precisão é um novo caminho para a suinocultura

Ines Adretta, Professora do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, debateu o tema durante o Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos

Peste suína e ração de trigo são ameaça para demanda por farelo de soja na China
16 de Abril de 2021
Insumos

Peste suína e ração de trigo são ameaça para demanda por farelo de soja na China

País deve utilizar até 40 milhões de toneladas de trigo para ração na safra 2020/21

Disponible en español Disponible en español
Exportações de carne suína dos EUA caem
15 de Abril de 2021
Comercio internacional

Exportações de carne suína dos EUA caem

No primeiro bimestre do ano, um caso específico é o do México, país que manteve tendência de queda nas importações de carne suína dos Estados Unidos, apresentando contrações em volume e valor.

Disponible en español Disponible en español
Futuro das exportações argentinas está no Sudeste Asiático
15 de Abril de 2021
Mercado Externo

Futuro das exportações argentinas está no Sudeste Asiático

Economista argumentou que é a região do mundo que está aumentando o poder de compra e na qual há uma demanda crescente por produtos suínos.
 

AveSui Online 2021 - Robótica na Produção de Suínos: Case Brasil
13 de Abril de 2021
Tecnologia

AveSui Online 2021 - Robótica na Produção de Suínos: Case Brasil

Giovani Molin apresenta case de aplicação de Robô Alimentador de Suínos

Brasil atua para evitar a Peste Suína Africana e erradicar a PSC no país
16 de Abril de 2021
Saúde Animal

Brasil atua para evitar a Peste Suína Africana e erradicar a PSC no país

Livre de PSA há quatro décadas, o país vem adotando medidas preventivas para evitar um eventual carreamento do vírus ao território brasileiro. Ao mesmo tempo, tem implementado ações visando a erradicação completa da Peste Suína Clássica

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade