Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

Marketing Digital: O futuro do agronegócio no Brasil

A transformação digital no campo está aliada com as novas tecnologias e ambas precisam caminhar juntas para acompanhar o desenvolvimento mundial

Ricardo Martins

CEO e principal estrategista da TRIWI. Ricardo é especialista em marketing digital, é graduado em Marketing pela Escola Superior Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, e concluiu Master em Marketing pela ESPM, em São Paulo. Durante os 20 anos de trajetória na área, atuou em companhias que se destacam no mercado, como Polishop, XP Investimentos, TOTVS e CNA Idiomas.

Como consultor, atendeu organizações em diversos segmentos, incluindo Lupo, BM&FBOVESPA e Multilaser

23-Jul-2021 08:26

O agronegócio é um dos pilares mais importante para a economia do Brasil e torna-se ainda mais forte com a integração com o marketing digital. Sabemos ser possível posicionar o agronegócio no mundo virtual, quando bem desenvolvido com uma estratégia de mercado. A transformação digital no campo está aliada com as novas tecnologias e ambas precisam caminhar juntas para acompanhar o desenvolvimento mundial. Nunca foi tão importante o uso de ferramentas do marketing digital no agronegócio como agora.

Segundo a Confederação da Agricultura e Pecuário do Brasil (CNA), em 2019, o agronegócio foi responsável por 21,4% do PIB, e o que isso quer dizer? Que o setor é responsável pelo ‘motor’ do país, é ele que representa o desenvolvimento econômico brasileiro, isso não temos dúvidas. A pandemia de Covid-19, evidenciou ainda mais a importância do marketing digital para as integrações comerciais. Tanto o produtor quanto o empresário do setor agrícola se viram obrigados a se adaptarem, principalmente no modo como as vendas de mercadorias eram realizadas. Sabemos, que se o empresário ou o agricultor não compreenderem, ou acompanharem todo o processo estratégico e mercadológico encontrarão dificuldades para obter êxito. Com as mudanças, o mundo tecnológico trouxe sim, o avanço, e com ele a visibilidade de produtores de todos os portes, e sabemos que todos precisam se destacar, afinal "Quem não é visto não é lembrado".

Em meio a tantas mudanças, o campo está caminhando lentamente quando o assunto é marketing digital. A internet faz com que os produtores realizem os processos de formas rápidas, o que antes era feito de forma direta - produtor e comprador -, agora pode ser realizado por um simples toque na tela na palma da mão.

A tendência de crescimento nesse cenário é ainda maior: cada vez mais os negócios deverão ser realizados por meio da internet, conforme pesquisas publicadas. Vendas e compras serão efetuadas por aplicativos, mensagens, entre outros, por isso o produtor rural não pode deixar de se atualizar. Tanto o pequeno como o grande produtor rural precisam ficar à frente desse mundo tecnológico e para isso precisam fazer o uso das ferramentas do marketing digital.

Oportunidade de crescimento

As oportunidades no agronegócio mesmo sendo incontáveis, podem ser ainda mais exploradas. A estratégia de marketing digital estruturada posiciona a empresa / produtor em destaque. Só para você ter uma ideia, segundo a pesquisa Hábitos do Produtor Rural, 2020, da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), diz a respeito à digitalização: 94% dos entrevistados têm ‘smartphone’ (na pesquisa anterior, de 2017, eram apenas 61%), 74% usam a internet como fonte de informação (contra 42% em 2017) e 90% costumam acessar alguma rede social. Com esses números, podemos concluir que os produtores e as indústrias devem aproveitar ao máximo da tecnologia a favor do agronegócio.

Através do marketing digital é possível expandir a atuação em nível nacional e mundial. Antes se a equipe comercial atuava apenas em determinadas regiões do Brasil, através de um site e campanhas de publicidade online, é possível atingir todas as regiões do Brasil e, inclusive, o mercado internacional.

Uma presença digital sólida nas redes sociais também ajuda a criar diferenciação entre você e os concorrentes. Mesmo em negociações B2B, as redes sociais são importantes. Compradores gostam de conhecer mais afundo sobre a empresa e redes sociais como o LinkedIn, que é um excelente canal para isso.

Falando em LinkedIn, esta é uma excelente plataforma de relacionamento. Através da publicidade nesta rede social, é possível atingir determinado público. Por exemplo, seu anúncio pode atingir CEO, Diretores e Presidentes de empresas de um determinado segmento e de uma determinada região. Com isso, você poderá focar seus esforços e investimento em marketing no público que realmente importa para o seu negócio.

Migração

Segundo a Embrapa, cerca de 84% dos produtores responderam que já utilizam ao menos uma tecnologia no processo de produção; 70% usam internet e tecnologia em atividades relacionadas à produção rural e 57,5% recorrem às mídias sociais para divulgar dados ou produtos. O uso da tecnologia é o ponto de partida para alcançar a meta de digitalizar o agronegócio até 2030. É preciso se modernizar, incorporar novas tecnologias e mudar o modo de gerenciar os rumos do negócio.

Os jovens no campo

A pesquisa da ABMRA ressalta ainda, 27% dos empreendedores do campo têm menos de 35 anos. O dado demonstra que essa geração que "cresceu com a internet" está ligada no mercado e ganhando influência. Esse perfil revela que essa faixa etária costuma pesquisar, justamente na rede, antes de comprar um produto ou contratar um serviço para sua empresa. A busca é baseada na reputação da marca e na qualidade dos serviços prestados.

Vale lembrar que o mercado tão amplo como o agronegócio, ganha mais quem estiver mais bem preparado. É preciso inovar e investir em marketing digital, pois ele é responsável pela visibilidade da sua marca/produto pelo impacto da sua empresa no mercado, pelo engajamento, pela referência e pelas vendas, entre outros.

Assuntos do Momento

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas
21 de Setembro de 2021
Ocorrência Sanitária

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas

A ocorrência foi confirmada ontem (20/09) pela OIE; é o segundo caso da enfermidade na América Latina, o que acende um alerta ainda maior em toda a suinocultura da região

Preço do suíno vivo sobe em vários estados
20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do suíno vivo sobe em vários estados

Após um começo de mês nada animador para o segmento, a última semana registrou novos aumentos em várias praças. Valor poderia ser maior, mas baixo poder aquisitivo da população segue impedindo.

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo
16 de Setembro de 2021
Custos

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo

Quadro afeta especialmente os produtores independentes, que têm menos poder de fogo nas negociações de grãos para ração

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

20 de Setembro de 2021
EUA

Nos EUA, deputados democratas pedem recursos para prevenir peste suína africana

Grupo de deputados pediu US$ 75 milhões em recursos para que autoridades de saúde animal previnam e se preparem para um possível surto de PSA no país

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos
17 de Setembro de 2021
Mercado

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos

Levantamento do Cepea mostra que, na média deste mês (até o dia 15), a diferença entre a carcaça especial suína, também comercializada na Grande São Paulo, e o frango inteiro é de apenas 1,19 Reais/kg

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade