Rainha da Paz
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Balança comercial

Metade das exportações de carne suína foi para a China

Em 2018, o país já havia ampliado em 202% as importações dessa proteína da indústria brasileira

Redação SI
07-Ago-2019 11:22

Praticamente a metade da carne suína brasileira exportada teve a China e Hong Kong como destino no acumulado de 2019. Enquanto o primeiro responde por 33% da participação, a região autônoma chinesa importa 16% da proteína brasileira. Entre janeiro e julho deste ano, as exportações de carne suína cresceram 30,4%, totalizando US$ 774,57 milhões. Foram remessadas ao exterior 362.842 toneladas ao longo do período. Os dados são do Ministério da Economia.

Apenas a China adquiriu US$ 261,7 milhões em carne suína brasileira. O montante representa acréscimo de 45,2% sobre o que esse mesmo país importou entre janeiro e julho do ano passado. Em 2018, a China já havia ampliado em 202% as importações dessa proteína da indústria brasileira.

Enquanto isso, a região autônoma Hong Kong comprou US$ 123,61 milhões em carne suína do país. Apesar de representar 16% das exportações brasileiras, houve queda de 9,2% na comparação com o mesmo período de 2018.

A Rússia, por sua vez, que era o principal mercado de destino da carne suína brasileira, agora representa 9,5% do total. O volume é expressivo, considerando que aquele país não importou a proteína brasileira no ano passado. Até o momento, as exportações para aquele destino somam US$ 78,86 milhões.

A América do Sul foi outro destino importante da proteína suína do Brasil no acumulado do ano. Neste caso, o principal comprador foi o Chile, com 7,2% de participação. Em seguida, aparece o Uruguai, com 6,5% de participação, e a Argentina, que comprou 5,6% de toda a carne suína brasileira exportada.

Voltando para a Ásia, Cingapura aparece como o terceiro principal consumidor naquele continente, com 6,5% de participação. O Vietnã, que, assim como a China, tem sofrido com o surto de Peste Suína Africana, passou a adquirir a carne suína brasileira. Neste caso, o país agora responde a 2,2% do total exportado, mas isso representa um aumento de 482% na comparação com o ano passado.

,
.

Estados brasileiros

Santa Catarina continua sendo o principal exportador brasileiro de carne suína. O estado responde por 55,8% do que o Brasil exportou entre janeiro e julho. Em seguida, aparece o Rio Grande do Sul, que responde por 25,4% das exportações brasileiras. O Paraná é o terceiro, com 16% de participação.

Minas Gerais e Mato Grosso aparecem em quarto e quinto entre os principais exportadores de carne suína, seguidos por São Paulo e Goiás.

,
.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade