Rainha da Paz
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Saúde Animal

MSD Saúde Animal vacina um terço dos suínos produzidos no Brasil contra a ileíte

Silenciosa e muito comum nas granjas, enfermidade precisa ser prevenida para evitar grandes perdas financeiras, que variam de 5,98 a 17,34 dólares por suíno

Redação
23-Mar-2021 10:16

Durante muitos anos, a suinocultura mundial buscou por soluções para lidar com a alta incidência da ileíte na produção de suínos e encontrou, na vacina, a resposta que precisava para conter o seu impacto na saúde e produtividade. A enfermidade é causada pela bactéria Lawsonia intracellularise está presente em praticamente todas as produções de suínos. 

Muitas vezes a doença só é percebida quando há queda na produtividade, observando-se piora da conversão alimentar, redução do ganho diário de peso e aumento na taxa de mortalidade. Ou seja, quando o produtor percebe o problema, ele já está tendo prejuízos financeiros, cujo impacto estimado varia de US$ 5,98 e US$ 17,34 por suíno.1  

A doença se apresenta em 3 formas: clínica, crônica e a subclínica, sendo esta a mais prevalente. A ileíte subclínica é bastante perigosa porque é difícil de ser diagnosticada sem exames laboratoriais e impacta significativamente a produtividade. 

Para a MSD Saúde Animal, responsável pela fabricação da Porcilis Ileitis, primeira vacina injetável do mundo contra a L. intracellularis, conseguir diminuir a incidência nas granjas é uma conquista que beneficia todo o setor. “No Brasil são produzidos cerca de 4 milhões de suínos por mês.2 Em 2020, nós vacinamos mais de 10 milhões e, em 2021, 1 em cada 3 suínos produzidos no Brasil já são vacinados com Porcilis Ileitis.  Esse é um marco importante para a suinocultura brasileira e uma contribuição significativa da MSD para saúde, bem-estar animal e produtividade do setor, afirma Erich Nascimento, gerente de produtos da unidade de negócios de suinocultura da MSD Saúde Animal. 

A sanidade é um fator determinante para o sucesso da suinocultura brasileira, porque impacta positivamente na produtividade, contribuindo para o desenvolvimento do setor tanto no mercado interno quanto externo. No mercado externo, por exemplo, a proteína suína bate recordes de exportação. De acordo com dados do IBGE, no quarto trimestre de 2020, foram produzidas 4,9% mais proteína suína do que no mesmo período de 2019. Essa demanda aquecida só é possível porque existe um controle sanitário, baseado em prevenção, que atesta a qualidade dessa produção.  

“O fornecimento de soluções para fomentar a saúde e o bem-estar dos suínos e, por consequência, a rentabilidade do produtor é também nossa responsabilidade. Por isso, além de produtos como a Porcilis Ileitis, nós também disponibilizamos uma equipe técnica especializada para auxiliar na gestão da sanidade na suinocultura, destaca Erich. 

 

 

Referências bibliográficas: 

https://www.lawsonia.net/wp- content/uploads/2019/10/ Economic-Impact.pdf) 
https://sidra.ibge.gov.br/ tabela/1093#resultado 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade