Guia Gessulli
05-Jul-2018 17:00
Dia Internacional do Cooperativismo

O Brasil e o mundo celebram cooperativismo neste sábado

Atualmente, 6.655 mil cooperativas estão registradas na OCB, congregando 13,2 milhões de cooperados e gerando 378,2 mil empregos diretos.

Mais de 13,5 milhões de brasileiros tem motivos para celebração neste sábado, 7 de julho. É o Dia Internacional do Cooperativismo, modelo econômico que há mais de 200 anos contribui para o desenvolvimento de nações e pessoas em todo o mundo. Segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a celebração do Dia Internacional do Cooperativismo no Brasil começou no sábado, dia 30 de junho, com uma programação intensa e que envolveu ações simultâneas em mais de 400 cidades do país. Atualmente, 6.655 mil cooperativas estão registradas na OCB, congregando 13,2 milhões de cooperados e gerando 378,2 mil empregos diretos.

“Nós celebramos, junto com o Dia Internacional do Cooperativismo, o Dia de Cooperar, um movimento verde e amarelo de dedicação ao próximo. O Dia C, como o chamamos, representa todo o esforço das cooperativas brasileiras em realizar, com suas parcerias, iniciativas voluntárias, duradouras e com grande impacto transformador na vida das pessoas que residem no entorno delas. Essas iniciativas ocorrem ao longo de todo o ano. Nós sabemos que atitudes simples movem o mundo, por isso, fazemos essa dupla celebração”, comenta Renato Nobile, superintendente do Sistema OCB.

Todos os anos, a celebração é pautada por um tema global definido pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI), entidade de representação desse modelo econômico em nível global e da qual o Brasil faz parte, por meio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Assim, neste ano, o Dia Internacional do Cooperativismo celebra o tema “Sociedades sustentáveis por meio da cooperação”, mostrando à sociedade o papel transformador das cooperativas que, dia após dia, atuam na construção de um mundo mais justo, equilibrado e com melhores oportunidades para todos.

E, para reforçar a contribuição das cooperativas com o mundo melhor e que todos merecem, conforme a OCB, será assinado junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), nesta sexta-feira (6/7) um memorando de entendimento com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), da ONU. O evento ocorre na Casa do Cooperativismo Brasileiro, sede do Sistema OCB, em Brasília, a partir das 10h.

Força da economia catarinense

Santa Catarina tem a maior taxa de adesão ao cooperativismo do Brasil: mais da metade da população está vinculada a essas organizações humanas. Os 2,2 milhões de associados, consideradas as famílias, representam mais de 4,5 milhões de catarinenses. Essa realidade está sendo festejada na comemoração do Dia Internacional do Cooperativismo celebrada sempre no primeiro sábado do mês de julho. A Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) informou que o cooperativismo catarinense cresceu 36,54% no quadriênio 2014-2017, mantendo uma média de 9,1% ao ano no período em que a economia brasileira sofreu forte recessão. As 263 cooperativas catarinenses faturaram R$ 32,6 bilhões de reais no último ano.

O presidente Luiz Vicente Suzin realça que o crescimento do quadro social no segmento de jovens e mulheres foi elevado. O número de jovens até 25 anos que se associaram às cooperativas teve um crescimento de 10% no ano passado, chegando a 348.783. Hoje, 15,6% do total geral de associados pertencem a essa faixa etária jovem. Também cresceu em 13,6% a participação da mulher. Atualmente, 40% dos associados são do sexo feminino, índice que representa 909,5 mil pessoas. O quadro geral do desempenho das cooperativas revela que, em 2017, o número total de empregados diretos aumentou 5%, passando a 60.532 colaboradores.

Em 2017, as cooperativas catarinenses recolheram R$ 2 bilhões 555 milhões de reais em tributos. Foram investidos R$ 29 milhões de reais para ações de formação profissional, promoção social e outras atividades. O movimento econômico mais expressivo é gerado pelas cooperativas de seis ramos. As 51 cooperativas agropecuárias representam 63% do movimento econômico de todo o sistema cooperativista catarinense. No conjunto, essas cooperativas mantêm um quadro social de 71.648 cooperados e um quadro funcional de 39.883 empregados. O faturamento anual do ramo agropecuário totalizou R$ 20 bilhões. Os demais ramos em importância são: crédito (61 cooperativas, 1,5 milhão de cooperados); saúde (30 cooperativas e 11.909 associados); transporte (45 cooperativas, 7.592 cooperados); infraestrutura (34 cooperativas, 327.817 associados) e consumo (12 cooperativas, 306.364 associados).

O movimento econômico mais expressivo é gerado pelas cooperativas dos ramos agropecuário, saúde, crédito, consumo, infraestrutura e transporte.

As 51 cooperativas agropecuárias representam 63% do movimento econômico de todo o sistema cooperativista catarinense. No conjunto, essas cooperativas mantêm um quadro social de 71.648 cooperados e um quadro funcional de 39.883 empregados. O faturamento anual do ramo agropecuário totalizou R$ 20 bilhões.

Redação AI/SI
Deixe seu Recado