Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Mercado Suíno

O movimento da carne suína em outubro, segundo o Cepea

Oferta de animais foi restrita, enquanto embarques superaram setembro; no mercado interno, preços subiram

Redação SI
10-Nov-2020 10:00

O movimento de alta nos preços do suíno vivo e da carne foi intensificado em outubro, de acordo com o Boletim do Suíno, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. Enquanto a oferta de animais para abate esteve restrita e consequentemente limitando a produção de carcaças e cortes, as exportações da carne apresentaram bom desempenho. Diante disso, os valores da maioria dos produtos suinícolas levantada pelo Cepea estiveram em patamares recordes reais das respectivas séries.

Para o suíno vivo, além da oferta reduzida e da demanda aquecida por parte da indústria, devido às exportações, os preços elevados dos principais insumos da atividade, milho e farelo de soja, motivaram produtores a buscar maiores valores na comercialização do animal, no intuito de garantir a rentabilidade da atividade.

De setembro a outubro, o suíno vivo negociado no mercado independente se valorizou 6,6% na região do Oeste Catarinense, com média de R$ 8,69/kg, recorde real da série histórica do Cepea, iniciada em março de 2002 e deflacionada pelo IGP-DI de outubro/20. Também recorde, no Norte do Paraná, o animal teve preço médio de R$ 8,71/kg em outubro, avanço de 5,5% na comparação com o de setembro.

 

EXPORTAÇÕES EM ALTA, PREÇO ELEVADO

Apesar de registrar queda na última semana de outubro, os embarques de carne suína em outubro superaram o mês anterior. Segundo o Cepea, esse cenário resultou em uma menor disponibilidade da proteína no mercado doméstico. Como consequência, os preços aumentaram para os brasileiros.

De acordo com relatório da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), em outubro, o Brasil exportou 87,6 mil toneladas de carne suína, volume 2,5% acima do observado em setembro e 21,7% a mais que em outubro do ano passado 19.

Apesar desse aumento no volume embarcado, a expectativa do setor era de que as vendas apresentassem desempenho ainda melhor, fundamentados nas exportações intensas nos 16 primeiros dias úteis do mês, quando a quantidade apenas de carne in natura já totalizava 66,9 mil toneladas.

 

RECEITA MELHOROU

Em termos financeiros, a receita obtida pelo setor foi favorecida pelo câmbio elevado e pelo aumento no preço médio da carne exportada. Ainda tendo-se como base os dados da Secex, a tonelada da carne suína saiu dos portos brasileiros a US$ 2,27 mil, o maior valor dos últimos seis meses. Dessa forma, a receita com os embarques somou R$ 1,12 bilhão em outubro, aumento de 10,3% frente à de setembro e ainda 71,8% maior que o montante de outubro/19.

O incremento nos embarques suinícolas se deu principalmente pelo crescimento das vendas à China e Hong Kong. Após atingirem a menor participação nas exportações de carne suína de 2020 em setembro, ambos os destinos aumentaram os pedidos em outubro. No mês, a China foi destino de 46,5 mil t dos embarques de carne suína, alta de 6,1% frente a setembro, e Hong Kong, de 11,4 mil t, elevação de 16,6%.

 

RELAÇÃO DE TROCA COM INSUMOS

Em outubro, os preços internos do milho e do farelo de soja renovaram as máximas nominais e atingiram recordes reais em algumas praças, segundo levantamento da Equipe de Grãos do Cepea. Os valores dos suínos também estiveram em alta, mas em ritmo inferior ao observado para os insumos.

Esse cenário acabou interrompendo o movimento de avanço no poder de compra de suinocultores, que vinha sendo observado desde maio deste ano.

Assuntos do Momento

Preço do suíno vivo sobe em vários estados
20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do suíno vivo sobe em vários estados

Após um começo de mês nada animador para o segmento, a última semana registrou novos aumentos em várias praças. Valor poderia ser maior, mas baixo poder aquisitivo da população segue impedindo.

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo
16 de Setembro de 2021
Custos

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo

Quadro afeta especialmente os produtores independentes, que têm menos poder de fogo nas negociações de grãos para ração

Disponible en español Disponible en español
O endividamento e as oscilações de preços fazem com que muitos suinocultores na China abandonem a esperança de retorno
14 de Setembro de 2021
Mercado Externo

O endividamento e as oscilações de preços fazem com que muitos suinocultores na China abandonem a esperança de retorno

Para capitalizar a duplicação dos preços em 2019, os cinco maiores produtores de carne suína procuraram  se expandir rapidamente e aumentaram sua dívida bruta em quase três vezes em dois anos e meio

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

16 de Setembro de 2021
Bloqueios nos embarques

Mais quatro países suspendem compras de carne do Brasil após caso de vaca louca

Além de China e Arábia Saudita, Egito, Irã, Indonésia e Rússia adotaram a medida após a confirmação da doença em Minas Gerais e Mato Grosso

China compra até 6 cargas de soja do Brasil para outubro/novembro, dizem traders
16 de Setembro de 2021
Exportação

China compra até 6 cargas de soja do Brasil para outubro/novembro, dizem traders

Os acordos foram assinados em momento em que terminais de exportação ao longo da Costa do Golfo dos Estados Unidos, na Louisiana, o polo de transporte de grãos mais movimentado do país, têm buscado se recuperar de danos

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade