Guia Gessulli
10-Mai-2019 13:30
Sanidade

OIE pede ação urgente para prevenir resistência antimicrobiana

O Grupo de Coordenação Ad Hoc sobre Resistência Antimicrobiana da ONU, que divulgou o relatório, adverte que se nenhuma medida for tomada, doenças resistentes a antibióticos podem causar 10 milhões de mortes a cada ano até 2050

As Nações Unidas, agências internacionais e especialistas divulgaram hoje um relatório que exige ação imediata, coordenada e ambiciosa para evitar uma crise de resistência aos antimicrobianos potencialmente desastrosa.

O Grupo de Coordenação Ad Hoc sobre Resistência Antimicrobiana da ONU, que divulgou o relatório, adverte que se nenhuma medida for tomada, doenças resistentes a antibióticos podem causar 10 milhões de mortes a cada ano até 2050 e danos à economia como como a crise financeira global de 2008-2009. Até 2030, a resistência antimicrobiana pode forçar até 24 milhões de pessoas à pobreza extrema.

De acordo com a OIE atualmente, pelo menos 700.000 pessoas morrem a cada ano devido a doenças resistentes aos medicamentos, incluindo 230.000 pessoas que morrem de tuberculose multirresistente. Doenças cada vez mais comuns, incluindo infecções do trato respiratório, infecções sexualmente transmissíveis e infecções do trato urinário, são incuráveis; procedimentos médicos estão se tornando muito mais arriscados, e os sistemas alimentares estão cada vez mais precários.

Reconhecendo que a saúde humana, animal, alimentar e ambiental estão estreitamente interligadas, o relatório pede uma abordagem coordenada e multisetorial de “Uma só Saúde” e faz as seguintes recomendações:

·         priorizar planos de ação nacionais para ampliar os esforços de financiamento e capacitação;

·         implantar sistemas regulatórios mais fortes e apoiar programas de conscientização para o uso responsável e prudente de antimicrobianos por profissionais em saúde humana, animal e vegetal;

·         investir em pesquisa e desenvolvimento ambiciosos de novas tecnologias para combater a resistência antimicrobiana;

·         urgentemente eliminar o uso de antimicrobianos criticamente importantes como promotores de crescimento na agricultura.

 “A resistência antimicrobiana é uma das maiores ameaças que enfrentamos como comunidade global. Este relatório reflete a profundidade e o escopo da resposta necessária para conter sua ascensão e proteger um século de progresso em saúde ”, disse a Sra. Amina Mohammed, Secretária Geral Adjunta da ONU e Co-Presidente da IACG. “ Isso enfatiza, com razão, que não há tempo para esperar e peço a todas as partes interessadas que cumpram suas recomendações e trabalhem com urgência para proteger nosso povo e o planeta e garantir um futuro sustentável para todos. ”

Convocada a pedido de líderes mundiais após a primeira Reunião de Alto Nível da ONU sobre Resistência Antimicrobiana em 2016, o grupo de especialistas reuniu parceiros em toda a ONU, organizações internacionais e indivíduos com experiência em saúde humana, animal e vegetal, bem como alimentos, alimentos para animais, comércio, desenvolvimento e meio ambiente, para formular um projeto para a luta contra a resistência antimicrobiana.

Redação AI/SI
Deixe seu Recado