Alltech SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Commodities

ONU negocia retomar exportações de grãos da Ucrânia em meio à crise de alimentos

“Estou esperançoso, mas ainda há um caminho a percorrer”, disse Guterres, que visitou Moscou e Kiev no final do mês passado

Redação com informações de Money Times e Reuters
19-Mai-2022 09:21

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta quarta-feira estar em “intenso contato” com Rússia, Ucrânia, Turquia, Estados Unidos e União Europeia em um esforço para restaurar a exportação de grãos ucranianos à medida em que piora a crise alimentar global.

“Estou esperançoso, mas ainda há um caminho a percorrer”, disse Guterres, que visitou Moscou e Kiev no final do mês passado.

“As complexas implicações de segurança, econômicas e financeiras exigem boa vontade de todos os lados.”

Em discurso em uma reunião de segurança alimentar nas Nações Unidas organizada pelo secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, Guterres apelou à Rússia para permitir “a exportação segura de grãos armazenados em portos ucranianos” e para que alimentos e fertilizantes russos “tenham acesso total e irrestrito para os mercados mundiais”.

A guerra da Rússia na Ucrânia fez com que os preços globais de grãos, óleos de cozinha, combustível e fertilizantes disparassem, e Guterres alertou que isso irá piorar a crise alimentar, energética e econômica nos países pobres.

“Ela ameaça levar dezenas de milhões de pessoas à insegurança alimentar, seguida de desnutrição e fome, em uma crise que pode durar anos”, disse Guterres.

A Ucrânia costumava exportar a maioria de seus produtos por meio de portos marítimos, mas desde a invasão da Rússia em 24 de fevereiro foi forçada a exportar por trem ou por meio de pequenos portos no rio Danúbio.

O chefe de alimentos da ONU, David Beasley, apelou ao presidente russo, Vladimir Putin: “Se você tem coração, por favor, abra esses portos”.

Beasley lidera o Programa Mundial de Alimentos, que alimenta cerca de 125 milhões de pessoas e compra 50% de seus grãos da Ucrânia.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade