Alltech SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Argentina

Os desafios dos produtores de carne suína argentinos no novo normal

No Dia da Suinocultura, a atividade enfrenta o desafio de sustentar o alto nível de sanidade das granjas com critérios de sustentabilidade

Redação com informações de La Nacion
15-Jun-2022 08:50

A indústria suína na Argentina tem experimentado uma posição importante nos últimos anos acompanhada pelo aumento do consumo e escolha dos consumidores argentinos por esta proteína. 

O país tem ótimas condições naturais, geográficas e sanitárias (além de ser produtor das principais matérias-primas) para continuar crescendo, sendo autossuficiente e até exportador.

Atualmente, o país conta com um censo de 341 mil fêmeas reprodutoras, o que se traduz em uma produção anual de 695 mil toneladas até 2021, atingindo um consumo de 18 Kg/habitante no mesmo período. 

Por outro lado, os números do comércio internacional indicam um aumento de 51,5% no volume de importações no mesmo período, enquanto as exportações caíram 81,8%.

É importante destacar que apesar da situação econômica difícil e flutuante nos últimos dez anos e graças às estratégias implementadas pelo próprio setor, algo que subiu menos do que o salário base dos trabalhadores, foram os preços dos cortes de carne bovina, o que não contribuiu para a perda do poder aquisitivo da população e reflete a força da demanda e do consumo de carne suína na Argentina.

Um dos principais desafios para a indústria nos próximos anos é, sem dúvida, manter o alto nível sanitário das fazendas, tomando medidas extremas de biossegurança diante da ameaça de diversos agentes que poderiam ser devastadores caso entrassem no país. 

Vimos hoje quantos patógenos reemergentes estão causando transtornos e problemas, por isso ter animais saudáveis ??é “seguro” e será cada vez mais preponderante na busca de maior rentabilidade do negócio. Animais mais saudáveis ??são animais que produzem mais e melhor. Devemos pensar em investimentos não apenas em nível de fazenda, mas também em abatedouros que nos permitam aumentar a capacidade local e de valor agregado.

Trabalhar e cuidar de um problema cada vez mais visível, mais ainda hoje após uma pandemia, tem a ver com a falta de capital humano para trabalhar no mundo agrícola. A necessidade de criar planos de carreira que estimulem e motivem as pessoas a quererem voltar, ficar e ter uma carreira dentro de uma produtora são prioridades que a grande maioria dos produtores discute hoje.

Produzir proteína de alta qualidade e alimentos saudáveis ??e seguros para uma população que cresce a cada dia, cuidar do meio ambiente, dos recursos naturais e sempre pensando no futuro, são tarefas complexas para nossa indústria que deve lidar com isso no dia a dia, que a maioria desconhece. 

O impacto que temos sobre os milhares e milhões de famílias no mundo é o que nos motiva todos os dias a continuar lutando para fazer as coisas da melhor maneira.

A suinocultura continua e continuará a evoluir, adaptando-se a novos desafios e incluindo novas tecnologias nos seus processos que melhorem o bem-estar dos animais e consequentemente a qualidade do produto final, melhorias nos pavilhões onde os suínos estão alojados (automação), grupo prenhez das porcas, alimentação automática, produção de ração balanceada com base nas exigências de cada etapa produtiva, controle de ventilação e parâmetros ambientais como umidade, temperatura, gases, prevenção através de agentes imunológicos que auxiliam no controle das principais doenças.

Pensando no meio ambiente e como reduzir o impacto para uma produção sustentável e sustentável ao longo do tempo, na recirculação de energia, projetos de biodigestores que já são realidade há algum tempo são apenas algumas das medidas que muitos empresários e produtores decidiram adotar porque entendemos que como uma indústria que produz alimentos, e neste caso proteína de alta qualidade, precisaremos afinar cada vez mais a relação e o equilíbrio entre a saúde das pessoas, dos animais e dos ecossistemas, sempre visando o olhar uma única saúde.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade