AveSui2021
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Rabobank

Peste Suína Africana continua influenciando o mercado global de carne suína

China continua sendo o país sob maior influência da doença

Redação
17-Mar-2021 16:07 - Atualizado em 17/03/2021 16:23

De acordo com relatório divulgado pelo Rabobank a Peste Suína Africana deve continuar influenciando fortemente o mercado global de suínos em 2021. Segundo o relatório embora a oferta de suínos aumente em 2021, os preços deverão flutuar devido às incertezas do desenvolvimento de doenças, interesses de reabastecimento, custos de ração e políticas de importação.

A China continua sendo o país mais influenciado pela PSA, e a disseminação do vírus durante o inverno aumentou os desafios para tentar controlar o problema, e isso está complicando o cenário do suprimento e da demanda por carne suína no gigante asiático.

O Rabobank destaca que a redução no rebanho de matrizes no início de 2021 deve impactar o ritmo de repovoamento na China, muito embora ele deve continuar, ainda que em um ritmo mais lento do que o observado no ano passado. Vacinas ilegais, novas variantes de peste suína africana e a pressão por outras doenças, como a Síndrome Reprodutiva e Respiratória Suína (PRRS), resultaram em um aumento da taxa de mortalidade de leitões e abates do rebanho de porcas e suínos nos últimos meses.

O banco acredita que a produção de carne suína na China deva aumentar entre 8% a 10% em 2021, no comparativo com o ano passado. O crescimento deve flutuar ao longo do ano, com um primeiro trimestre de altas rápidas, devido aos abates por medo da PSA, e diminuição de ritmo no segundo trimestre.

Como a economia da China deve se recuperar ainda mais dos impactos do COVID-19 em 2021, isso apoiará a demanda de serviços de alimentação e o consumo institucional, bem como o consumo das famílias, o que deve sustentar os preços neste ano.

Surtos na Alemanha

A atual pressão devido aos casos de PSA em javalis na Alemanha também é significante e  também deve seguir trazendo implicações para outras partes da Europa.

Após a descoberta do primeiro caso da doença na Alemanha, em setembro do ano passado, vários países restringiram as importações da proteína alemã, como China, Japão e Vietnã, deixando um excedente de cerca de 70 mil toneladas.

Outros países da Europa passaram a absorver esta produção, e até o final do ano, outros países que haviam imposto embargo à carne suína da Alemanha acabaram relaxando as restrições.

Produção de suínos no Vietnã deve crescer até 12% em 2021

O mesmo relatório aponta que o Vietnã deve buscar um quadro de recuperação do rebanho suíno em 2021, mantendo as importações de animais reprodutores. De acordo com o banco, a produção de suínos no país deverá aumentar de 8% a 12% neste ano, ainda que o país tenha registrado surtos de peste suína africana em algumas províncias no inverno.

O relatório mostra que o rebanho de matrizes do Vietnã tem aumentado constantemente. No entanto, estima-se que um grande número de animais ainda são fêmeas mestiças de três linhagens, que apresentam produtividade inferior às fêmeas F1. Esta situação deve continuar em 2021, pois levará algum tempo para aumentar o rebanho de porcas F1.

Em 2020, o Vietnã importou reprodutores GGP e matrizes, sendo que o último veio principalmente da Tailândia. No total, as importações de rebanhos reprodutores chegaram a 242 mil cabeças em 2020, em comparação com 3.000 cabeças em 2019. As importações representam menos de 10% do rebanho total de porcas. O banco espera que as importações de rebanhos reprodutores continuem em 2021.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade