14-Fev-2018 15:08 - Atualizado em 14/02/2018 17:15
Comentário

Planejamento no Agronegócio - por Valter Bampi

personalidades, fotos atualizadas ,
Personalidades
Planejamento: ato de planejar pensando no seu objetivo. Claro que alguns dos objetivos, se não principais, são os de aumentar a produtividade e diminuir custos. Sem planejamento não existe condição a lucro, ao se planejar se aumenta rentabilidade e sustentabilidade (aquilo que permite continuar a atividade), assim também é possível se preparar para eventos adversos, como clima, venda do produto agrícola, aumento do valor de defensivos, e outros. Assim a tomada de decisão pode ser consciente, consequentemente sendo mais fácil de ser realizada. Para aprender como fazer um (bom) planejamento e atingir objetivos, primeiramente precisamos de dados, sendo esse o primeiro passo:

1. Colete dados do seu planejamento: registros, anotações, dados são o que permitem que o dono ou o gerente use melhor suas experiências e seus conhecimentos. No caso do gado de leite, ao obter dados de consumo de ração sabe-se a conversão alimentar (quanto de alimento é preciso para resultar em uma certa quantia de litros de leite). Assim, se o pasto estiver bem manejado e se for verificado que os dados das chuvas estão acima do normal, se pode reduzir a quantidade adequada de ração sem diminuir a quantidade de leite produzida. Já na produção de soja, sabendo-se do nível de infestação do percevejo em anos anteriores e com um nível menor nessa safra é possível diminuir o número de aplicações de inseticidas sem diminuir a produtividade. Por isso é essencial coletar dados de infestação de insetos, doenças, plantas daninhas, preços pagos por insumos, defensivos, mão-de-obra, custos de maquinários, horas de trabalho.

2.  Se informe: nas commodities (como são produtos agrícolas) se produz pensando no mercado, já que é nele que serão vendidos produtos e é ele que define o preço. Então, é imprescindível ter atenção às tendências do mercado. Para isso pode-se participar de eventos, visitar sites de notícia, sites financeiros, ler revistas agropecuárias, só não vá na conversa do vizinho. Procure informação em lugares reconhecidos, respeitados, podendo monitorar com segurança como será sua rentabilidade de acordo com seu produto final. 

3. Direcione as perguntas que se deve fazer ao planejamento: 

- O que? Defina a combinação de produtos que será produzida, área a ser destinada a cada cultura, tendo em mente informações, tendências do mercado, para que estas culturas sejam as mais rentáveis possíveis;

- Como? Plantio direto ou não, como adubar, corrigir área, com ou sem irrigação, com ou sem financiamento, com ou sem seguro. Busque combinação de recursos que resulte em menos custos, e maior rentabilidade;

- Quanto?  Aqui entramos no conceito de mercado, economia. Às vezes é melhor estocar produto, outras vezes o mais rentável é produzir apenas o que a demanda pede.  A definição do “quanto” também envolve sistema de produção (fertilidade do solo, defensivos, mão-de-obra, etc.), tudo isso influência na produtividade.

- Quando?  Dependerá da expectativa de preços de compra de insumos, preços de vendas do produto final, respeitando a legislação de vazio sanitário, também levando em consideração Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC).

4. Faça um planejamento financeiro: assim é possível mudar a estratégia quando surgir uma oportunidade ou imprevistos. Registrar despesas e lucros abre caminho para refletir se estão conforme o planejado ou se é preciso modificar algo para melhorar a saúde financeira da empresa. Se ainda não faz esses registros saiba que não está sozinho, 4 em cada 10 brasileiros não controlam gastos. Fazer isso verificando registros pode ser o principal diferencial do seu negócio, o que resultará em um maior rendimento final.

5. Faça um planejamento: com essas informações, hora de colocar a mão na massa, ou melhor, na terra. Dados sobre o negócio em si, finanças, informações do mercado, são as base para as ações do planejamento, o importante é não produzir só uma cultura, pois diferentes produtos agrícolas possuem diferentes comportamentos no mercado e a chance de dois ou mais produtos resultarem em prejuízo financeiro é menor. Converse, explique o planejamento ao pessoal que trabalha com você. Todos precisam estar cientes dos objetivos, nessa conversa pode sair ainda mais ideias para melhorar os processos. Utilizar a tecnologia torna tudo mais rápido, mais simples, sendo o próximo passo para o avanço do agronegócio a aplicação da tecnologia na gestão das propriedades.

6. Seja meticuloso, monitore seu planejamento: após a safra reveja seus registros, seu planejamento. Converse de novo com seu pessoal, reúna informações, experiências do que deu e do que não deu certo. O que deu certo continue a fazer, o que não deu resultado repense, melhore os processos, assim saberá onde melhorar a cada safra e irá se aperfeiçoar mais e mais.

Conclusão

O planejamento é simplesmente a sequência de ações que se deve fazer, antes da safra para se preparar adequadamente a ela, durante a safra, seguindo o planejado ou/e modificando conforme as situações e após a safra, verificando o que deu certo e errado. Dessa forma, na próxima safra seu planejamento será ainda melhor e com melhores resultados.

Redação

Valter Bampi

Médico veterinário, professor universitário, especialista avícola e diretor da Bampi Consultoria.

Deixe seu Recado