Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

Possível economia para 2021!

Por Jogi Humberto Oshiai e Maria Amélia Albuquerque

Jogi Humberto Oshiai e Maria Amélia Albuquerque

Chief Business Officer do Balera, Berbel & Mitne Advogados, sócio da Stark Capital Partners, diretor de Assuntos Públicos do Escritório de Advogados Europeus FratiniVergano (Bruxelas) além de ser pesquisador associado da FZEA/USP -  [email protected] 

Sócia do Escritório Balera, Berbel & Mitne Advogados - [email protected]

17-Nov-2020 10:31

Os chefes de Estado e de governo aqui da União Europeia (UE) se reunirão no dia 19 de novembro próximo, por videoconferência, para discutir a situação da segunda onda do Covid-19, que, infelizmente, nos imprisiona novamente em confinamento parcial na Bélgica e mais alguns países da UE.

A crise na saúde se agravou novamente no Velho Continente, mas a preocupação evidente dos líderes europeus é o impacto econômico e social. Com mais de 284.000 mortes, a Europa é a terceira região mais afetada pela covid-19 no mundo, que já causou a morte de pelo menos 1,2 milhão de pessoas em todo o planeta.

E se a UE se preocupa com o econômico e social, acreditamos que nós brasileiros deveríamos aproveitar todas os mecanismos disponíveis para conseguir cash ou, pelo menos, fazer economia.

Neste sentido, enfocamos uma oportunidade em nosso país de economia para 2021. O resultado do processamento do FAP, com vigência para o ano de 2021, já foi publicado no dia 28 de setembro deste ano, pela Portaria nº 21.232 da Secretaria Especial da Previdência Social, e está disponível para análise e eventual apresentação de contestação entre os dias 01 e 30 de novembro de 2020. 

Vale lembrar que o Fator Acidentário de Prevenção (FAP) entrou em vigor em 2010. Atualmente, o índice é calculado por estabelecimento comercial e varia de 0,5000 até 2,0000, devendo ser aplicado sobre a alíquota de 1%, 2% ou 3% sobre o que a empresa recolhe a título de Riscos Ambientais do Trabalho (RAT).

O RAT é a chamada tarifação coletiva por subclasse econômica, com variação  de acordo com a atividade econômica preponderante desenvolvida em cada CNPJ da empresa.

Por sua vez, o índice do FAP é calculado anualmente, tendo como base de cálculo  o histórico de acidentes de trabalho da empresa: CATs (Comunicações de Acidentes de Trabalho), benefícios, massa salarial, frequência e gravidade dos dois anos anteriores a publicação do índice.

Assim, para definir o índice do FAP publicado em 2020, para vigência em 2021, é realizada uma análise referente a base estruturante dos anos de 2018 e 2019.

A publicação do resultado do FAP pode ser contestada, devendo ser feita exclusivamente por meio eletrônico através de formulário disponibilizado nos sítios da Previdência e da Receita Federal do Brasil.

Conforme já elencado, para a apuração do índice do FAP é analisado uma série de elementos fáticos, como acidentes de trabalho e benefícios previdenciários decorrentes de afastamentos, por exemplo.

Dessa forma, foi estabelecido o prazo exíguo de 30 dias para que a empresa possa analisar as informações que compuseram o índice e, caso verifique divergências, apresente contestação administrativa perante ao Conselho de Recursos da Previdência Social (CRPS).

A contestação deve ser composta por argumentos exclusivamente relativos às divergências em face dos elementos previdenciários considerados em relação aos índices de frequência, gravidade e custo.

O número de documentos para análise é elevado e o período, como citado, demasiadamente curto frente a rotina mensal do RH/DP!

Por vezes, e não raras, o índice é apurado de forma incorreta pela Previdência, acarretando valores que serão pagos a maior pelo contribuinte desatento.

Desse modo, a medida prudente e indicada é realizar, anualmente, uma análise cirúrgica em todos os coeficientes considerados a fim de verificar possíveis equívocos na apuração realizada pela Secretaria da Previdência e, assim, evitar pagamentos a maior (nos 12 meses mais no décimo terceiro), o que gerará economia para o ano de 2021.

E neste período de vacas magras para muitos, a informação que precede é uma importante contribuição que temos atualmente para o nosso setor!

Os leitores assíduos de nossos artigos têm conhecimento de que informações adicionais sobre o assunto acima e muitas outras oportunidades do interesse de sua empresa estão ao seu alcance, basta nos contactar!

Assuntos do Momento

11 de Maio de 2021
Mercado

Produção de suínos na China deve crescer 19% em 2021

Segundo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China (MARA), a expansão agressiva da capacidade de fazendas de grande escala em 2020 gerou um aumento estimado no abate de suínos para a China

Novos recursos na economia beneficiam o consumo de suínos
10 de Maio de 2021
Economia

Novos recursos na economia beneficiam o consumo de suínos

No momento, restam ainda mais de R$ 9 bilhões em recursos para serem contratados no Plano Safra 2020/2021

China: Importação de carnes aumenta 6,9% em abril e fica perto de recorde
07 de Maio de 2021
Mercado Externo

China: Importação de carnes aumenta 6,9% em abril e fica perto de recorde

A produção de carne suína da China despencou após os surtos de peste suína africana desde 2018, estimulando uma forte demanda por importação de carne suína e outras proteínas

Análise de Mercado - Frango em alta e preço do suíno cai em três estados
10 de Maio de 2021
Mercado

Análise de Mercado - Frango em alta e preço do suíno cai em três estados

Entre os dias 03 e 07 de maio, o preço do frango vivo eleva sua cotação, com exceção de MG que mantém o valor estável. Suíno vivo teve queda de 1,11% em SC, 2,54% no PR e 2,12% no RS

Disponible en español Disponible en español
Na Colômbia carne de porco começa a faltar nos lares
11 de Maio de 2021
América Latina

Na Colômbia carne de porco começa a faltar nos lares

A produção diária na Colômbia é de 1.300 toneladas de carne suína e devido aos efeitos da greve nacional, 720 toneladas / dia deixaram de ser produzidas e comercializadas

Preços do suíno vivo e da carne se enfraquecem, aponta Cepea
13 de Maio de 2021
Mercado

Preços do suíno vivo e da carne se enfraquecem, aponta Cepea

Segundo estudos, a venda de carne no mercado doméstico está enfraquecida

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade