Alltech SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

PSA deve elevar preço global de proteína animal em 5,6% até 2020, diz BTG

Em relatório o banco estima que a alta pode ir diretamente para o fluxo de caixa das companhias de carne, especialmente aquelas com produção integrada.

Redação SI/ Estadão conteúdo
01-Jul-2019 08:46 - Atualizado em 01/07/2019 09:39

A Peste Suína Africana (PSA) deve levar a um aumento de 5,6% nos preços globais de proteína animal (bovina, suína e de frango) até 2020, segundo relatório do banco BTG, caso a produção da China caia em 16 milhões de toneladas, conforme se espera atualmente. Num cenário mais severo, em que o plantel chinês cai pela metade, o modelo projeta um aumento de 8,7% nos preços. Caso a queda na oferta de suínos seja de 15%, a alta seria de 2,7% nos preços.

Em relatório detalhado sobre o setor de proteína animal brasileiro, assinado por Thiago Duarte e Henrique Brustolin, o banco estima que a alta pode ir diretamente para o fluxo de caixa das companhias de carne, especialmente aquelas com produção integrada.

O BTG também projetou o efeito da mudança estimada nos preços nas companhias de proteína. A previsão de Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (Ebitda) da JBS em 2020 aumentou em 45%, para R$ 22,1 bilhões, e a expectativa é que os preços altos causados pela peste suína representem R$ 6,2 bilhões; para a BRF, a estimativa de Ebitda no ano que vem sobe 13%, para R$ 5,3 bilhões, dos quais R$ 1,9 bilhão seria advindo da peste suína; para a Marfrig, a projeção de Ebitda aumenta 43%, para R$ 4,6 bilhões, com a peste suína africana responsável por R$ 880 milhões.

O banco manteve a JBS como principal recomendação de compra do setor; a BRF continua com recomendação neutra; e a recomendação para a Marfrig caiu para neutra após resultados considerados ruins no primeiro trimestre. A projeção não incorporou os efeitos da possível fusão entre BRF e Marfrig, ressaltando que, embora a tendência seja de acordo, o negócio pode acabar não acontecendo. Além disso, o banco reiterou que vê a possível negociação com ceticismo.

“Escolhemos esperar até termos mais detalhes sobre o potencial de sinergia”, informa o boletim.

Segundo o relatório, é possível que a China ainda não esteja reportando todos os casos da peste para tentar “prevenir as implicações negativas nas áreas política e econômica”.

A estimativa consensual é que a oferta de suínos chinesa cairá 30%, mas analistas mais alarmantes falam até em 50%.

A expectativa é de que a demanda e os preços da carne bovina também sejam tão beneficiados quanto as do frango no processo de substituição de proteínas por parte dos chineses.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade