Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comércio Exterior

"Queremos dar impulso à uma dupla checagem contra estas fraudes que causam prejuízos a quem busca importar produtos do Brasil", afirma Ricardo Santin

ABPA em parceria com a Apex  lançou uma campanha internacional para alertar importadores e potenciais clientes contra casos de fraudes e vendas falsas

Redação
30-Mar-2021 08:25

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), lançou uma campanha internacional para alertar importadores e potenciais clientes contra casos de fraudes e vendas falsas, que impactam as exportações brasileiras de aves e de suínos.

A ABPA tem trabalhado junto a entes governamentais especializados para coibir cada dia mais esta fraudes, que estimamos já ter alcançado 1 mil casos nos últimos cinco anos.  Com esta campanha, queremos dar impulso à uma dupla checagem contra estas fraudes que causam prejuízos a quem busca importar produtos do Brasil, e impactam a imagem e a segurança do comércio internacional de proteína animal”, avalia o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

A campanha contará com vídeos em português, inglês e mandarim que detalham cuidados na checagem do suposto vendedor antes da efetivação de pagamentos.  Entre as medidas, está a checagem dos dados junto à ABPA e  aos postos diplomáticos no exterior. O vídeo em português pode ser conferido neste link: https://www.youtube.com/watch?v=HV8AJZoYCFE  

A campanha será impulsionada por meio das redes sociais, pelos canais diretos com stakeholders de mercados estratégicos para as exportações brasileiras e pelas Embaixadas do Brasil pelo mundo, com o apoio do Departamento de Promoção do Agronegócio do Ministério das Relações Exteriores.

As fraudes envolvem clonagem de sites de empresas exportadoras, boletos de vendas que não aconteceram, falsificação de rótulos de produtos que não foram produzidos no Brasil, utilização de SIF’s falsos, clonagem de e-mails, criação de escritórios fantasmas totalmente estruturados (inclusive com contas bancárias), entre outros. Para inibir as práticas criminosas, as agroindústrias exportadoras já estruturaram, inclusive, áreas internas de compliance exclusivas para tratar das fraudes.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade