Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Benefício indisponível

Recursos para subvenção ao prêmio do seguro de soja e milho já se esgotaram

Contratação não está mais disponível para agricultores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Redação com informações de Valor
13-Set-2021 15:22

Os recursos do programa federal de subvenção ao prêmio do seguro rural para as culturas de soja e milho verão em 2021 se esgotaram antes mesmo do início do plantio da nova safra. A contratação do benefício não está mais disponível para
agricultores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, as principais produtoras do país. Na semana passada, as seguradoras que atuam no segmento receberam comunicado do Ministério da Agricultura sobre o comprometimento dos valores.

Dos R$ 924 milhões liberados para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) este ano, R$ 890 milhões já estão comprometidos com apólices contratadas e propostas em análise. O restante, cerca de R$ 34 milhões, está reservado para outros segmentos, como frutas e pecuária, para os projetos-pilotos de apoio à produção de grãos do Nordeste e para os agricultores que acessam o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Suplementação orçamentária

O Ministério da Agricultura tenta uma suplementação no orçamento do programa. A ministra Tereza Cristina pediu R$ 375 milhões a mais para a equipe econômica para conseguir chegar aos R$ 1,3 bilhão prometidos para o seguro rural durante o anúncio do Plano Safra 2020/21.


Para evitar que o dinheiro adicional tenha que passar pela aprovação do Congresso Nacional, o que pode tornar o processo mais demorado, a Pasta sugeriu o remanejamento de recursos de ações internas pouco demandadas até o momento, como a Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), que tem orçamento total de R$ 536,9 milhões - mais de R$ 400 milhões poderiam ser remanejados, apurou o Valor.

Além do PSR, o ministério também pediu R$ 265 milhões para outras áreas, como secretarias e subsidiárias, para o funcionamento da máquina pública. Esses recursos devem ter prioridade na negociação com a equipe econômica, o que dificulta ainda mais a suplementação do seguro rural. A resposta do Ministério da Economia deve sair nas próximas semanas.

Contratações em setembro

Setembro é, historicamente, o mês com maior volume de contratação de apólices de seguro rural para soja e milho verão do país. No ano passado, os recursos acabaram apenas no fim de novembro. A explicação para o esgotamento está na elevação dos preços das commodities, que aumentaram o valor final do prêmio e demandaram mais subvenção por apólice.

O governo também alterou o método de recepção das propostas de seguro rural e um sistema aberto, que não deixa mais a demanda represada e atende os produtores cronologicamente. Os contratos para os grãos de inverno, como o milho 2ª safra, chegaram antes e foram totalmente atendidos. De olho no aumento dos preços do cereal no mercado e para não gerar possibilidade de desabastecimento, a Pasta de Tereza Cristina priorizou a concessão de subvenção para as apólices da cultura.

Balanço de 2020

Em 2020, com R$ 881 milhões no PSR, o governo subvencionou 193 mil apólices de seguro rural e assegurou de 13,7 milhões de hectares. Com a alta nos preços dos grãos e a forte procura pelos produtores de milho safrinha, mesmo com orçamento maior, menos agricultores foram atendidos este ano em uma área menor. Os R$ 924 milhões devem contemplar 9 milhões de hectares por meio de 150 mil apólices. Os R$ 1,3 bilhão seriam capazes de atingir 14 milhões de hectares.

O recurso adicional de R$ 375 milhões, aguardado pelo ministério e pelo setor produtivo, pode subvencionar mais 60 mil apólices de soja e milho. Produtores de café de Minas Gerais e São Paulo, atingidos pelas geadas de julho, também devem demandar parte dos valores.

 

Assuntos do Momento

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas
21 de Setembro de 2021
Ocorrência Sanitária

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas

A ocorrência foi confirmada ontem (20/09) pela OIE; é o segundo caso da enfermidade na América Latina, o que acende um alerta ainda maior em toda a suinocultura da região

Preço do suíno vivo sobe em vários estados
20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do suíno vivo sobe em vários estados

Após um começo de mês nada animador para o segmento, a última semana registrou novos aumentos em várias praças. Valor poderia ser maior, mas baixo poder aquisitivo da população segue impedindo.

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo
16 de Setembro de 2021
Custos

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo

Quadro afeta especialmente os produtores independentes, que têm menos poder de fogo nas negociações de grãos para ração

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

20 de Setembro de 2021
EUA

Nos EUA, deputados democratas pedem recursos para prevenir peste suína africana

Grupo de deputados pediu US$ 75 milhões em recursos para que autoridades de saúde animal previnam e se preparem para um possível surto de PSA no país

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos
17 de Setembro de 2021
Mercado

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos

Levantamento do Cepea mostra que, na média deste mês (até o dia 15), a diferença entre a carcaça especial suína, também comercializada na Grande São Paulo, e o frango inteiro é de apenas 1,19 Reais/kg

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade