Guia Gessulli
10-Ago-2018 09:37 - Atualizado em 10/08/2018 10:42
Sanidade

Rússia: ansiedade pela nova lei sobre resíduos de antibióticos

As novas exigências estarão em vigor em todos os estados-membros da União Econômica Eurasiática (EEU) a partir de 14 de agosto

A indústria alimentícia russa enviou sinais de alarme sobre os novos requisitos de resíduos de antibióticos na produção de carne e leite.

As novas exigências estarão em vigor em todos os estados-membros da União Econômica Eurasiática (EEU) a partir de 14 de agosto. A UER é composta por Rússia, Cazaquistão, Bielorrússia, Armênia e Quirguistão.

A Comissão Econômica da Eurásia adotou uma lista de 70 antibióticos e outras drogas que devem ser submetidas a controle laboratorial durante inspeções de entrada em todas as unidades de processamento de carne no bloco econômico.

A Associação Nacional de Carne da Rússia, a Associação de Empresas de Comércio Varejista, o sindicato da indústria de laticínios Soyuzmoloko e várias outras organizações da indústria alimentícia enviaram uma carta à CEE solicitando o adiamento das novas regras.

As preocupações são levantadas à medida que a lista de medicamentos que devem ser submetidos ao controle foi significativamente ampliada, em quase três vezes, quando comparada aos regulamentos atuais. No momento, a maioria das fábricas de processamento de carne na Rússia não tem equipamentos para testar a presença dos resíduos de um grande número de medicamentos listados nas novas regulamentações, de acordo com as organizações.

Porco, aves e laticínios podem não chegar aos supermercados

Se os novos regulamentos fossem adotados como programado, isso poderia interromper as cadeias de fornecimento nos mercados domésticos de alimentos, com muitos lotes de produtos de aves, suínos e laticínios eventualmente proibidos de chegar às prateleiras dos supermercados, de acordo com as organizações.

Além disso, na Rússia não há formas autorizadas de identificar a presença de algumas das substâncias listadas, e de forma semelhante não há ensaios clínicos sobre quanto tempo leva para que alguns dos antibióticos listados sejam retirados do corpo de um animal. , a carta afirmou.

Reguladores veterinários são confusos

As chances são altas de que a aplicação dos novos regulamentos seja adiada e possivelmente até revisada. O jornal federal russo Vedomosti , citando suas próprias fontes, informou que até mesmo o cão de guarda veterinário russo Rosselkhoznadzor se confundiu com as novas exigências. Os oficiais do Rosselkhoznadzor acreditam que as novas regras, embora elaboradas com o objetivo certo em mente, foram um pouco prematuras.

A Vedomosti informou que a solicitação está atualmente sob consideração na Comissão Econômica da Eurásia. Espera-se que uma decisão sobre esta questão seja tomada nas próximas semanas.

Regulamentos sobre antibióticos em carne

Autoridades veterinárias da Rússia alegaram repetidamente que suas regras nacionais sobre os níveis máximos permitidos de resíduos de antibióticos em carne e leite estão entre as mais rígidas do mundo.

No entanto, a legislação veterinária da Rússia permite que os agricultores russos usem antibióticos e algumas outras drogas em quantidades ilimitadas. Na Rússia, o foco principal é a ausência de resíduos de antibióticos em produtos animais - em outras palavras, desde que não possam ser detectados no produto final. Nos últimos anos, anos em que algumas autoridades do país pediram para rever esse sistema, no entanto, ainda não foram dados passos reais nessa direção.

Traduzido de pigprogress por redação
Deixe seu Recado