Alltech
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

Saiba como a dieta Carnívora ajuda na cura da depressão

Os adeptos da dieta consomem carnes diversas (bovina, suína, de frango, de caça, de carneiro, etc); peixes e frutos do mar; ovos; queijos e outros laticínios; gorduras para cozinhar: manteiga, manteiga ghee, sebo, banha; caldo de ossos; órgãos e víscera

Jade Soller

Jade Soller é proponente e adepta do carnivorismo como estilo alimentar e  Embaixadora da Dieta Carnívora no Brasil - jadesoller.com.br

 

25-Set-2020 10:13

Muitos consideram problemas de saúde mental como a depressão desequilíbrios químicos que requerem medicação, mas com que frequência paramos para nos perguntar o que causa esses desequilíbrios químicos? 

Embora os medicamentos sejam claramente úteis e importantes para alguns indivíduos, pode-se argumentar que a maneira mais poderosa de mudar a química do cérebro é por meio dos alimentos - porque os produtos químicos do cérebro podem ser influenciados pelos nutrientes dos alimentos que comemos. [*]

A ciência emergente e as experiências do mundo real estão revelando esta nova mensagem fortalecedora e esperançosa: alimentar seu cérebro de maneira adequada tem o potencial de prevenir e reverter os sintomas de transtornos mentais e, em alguns casos, ajudar as pessoas a reduzir ou até eliminar a necessidade de medicamentos psiquiátricos.

Não há ensaios em humanos publicados ainda sobre a dieta carnívora e depressão, mas há muitas anedotas compartilhadas de pessoas relatando melhora de humor, depressão e transtornos psiquiátricos em uma dieta carnívora.

Os adeptos da dieta consomem carnes diversas (bovina, suína, de frango, de caça, de carneiro, etc); peixes e frutos do mar; ovos; queijos e outros laticínios; gorduras para cozinhar: manteiga, manteiga ghee, sebo, banha; caldo de ossos; órgãos e vísceras. 

Embora a ligação comida-humor ainda seja um campo emergente de estudo, há um grande potencial para muitos alcançarem uma saúde mental melhor em dieta carnívora!

A carnívora foca na proteína e gordura animal

Os aminoácidos são os blocos de construção das proteínas, essenciais para a produção de neurotransmissores em seu cérebro. Trata-se de um tipo de mensageiro químico que transporta sinais entre as células nervosas.

Por exemplo, a serotonina é um neurotransmissor responsável pela sensação de felicidade. É feito a partir do aminoácido triptofano. A dopamina é um neurotransmissor que te ajuda a se sentir motivado derivado do aminoácido fenilalanina. Nosso corpo absorve esses aminoácidos dos alimentos pela dieta.

Portanto, inclua proteína animal em sua dieta regularmente - frutos do mar, aves, carnes vermelhas, ovos, etc. As proteínas vegetais não são apenas mais difíceis de digerir e absorver, também contém "antinutrientes" que roubam do cérebro (e do corpo) os principais minerais e outros nutrientes essenciais. [*, *]

Os ácidos graxos também são essenciais para a saúde do cérebro. Uma grande parte do cérebro é composta de gordura, incluindo os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6. Seu corpo não pode produzir esses ácidos graxos essenciais por conta própria. Em vez disso, ele os absorve dos alimentos que você ingere.

É melhor obter um equilíbrio igual de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 em sua dieta. Infelizmente, a dieta ocidental típica contém quantidades excessivas de ácidos graxos ômega-6 e quantidades insuficientes de ácidos graxos ômega-3.

O principal benefício associado ao ômega-3 é a melhora da função cerebral e vários estudos mostraram que os alimentos que contêm ômega-3 também podem ajudá-lo a controlar os sintomas de depressão. Os alimentos que são boas fontes de ômega-3 incluem: cavala, robalo, sardinha, salmão, ostras, camarão, truta, ovos caipiras, carnes vermelhas. [*]

A dieta contém fontes de Vitamina D

Pessoas com níveis deficientes de vitamina D têm maior probabilidade de apresentar sintomas relacionados à depressão. [*] Você pode obter vitamina D do sol, mas também pode obter através da alimentação. Certifique-se de comer regularmente alimentos que contenham vitamina D, como: peixe, carne, vísceras, ovos, laticínios. [*]

A dieta carnívora fornece selênio

O selênio é um elemento essencial para uma boa saúde. Vários estudos sugeriram uma ligação entre deficiências de selênio e depressão. [*, *] Algumas pesquisas adicionais indicaram que a ingestão de selênio pode diminuir a sensação de depressão. O selênio pode ser encontrado em: queijo, carnes, atum, linguado, sardinhas, ovos, camarão, iogurte bife de fígado. 

A dieta carnívora é rica em ferro. 

O cérebro precisa de ferro para a produção de neurotransmissores (serotonina, dopamina e norepinefrina), geração de energia cerebral, função hipocampal ( memória ) e sinalização celular. [*]

Para evitar a deficiência de ferro, aumente a ingestão de carnes vermelhas, fígado, frutos do mar e diminua a ingestão de alimentos vegetais que interferem na absorção de ferro. Fitatos (encontrados em feijões, nozes, sementes e grãos), oxalatos (encontrados em espinafre, cacau, beterraba, sementes de gergelim, ruibarbo, batata doce, coentro) e taninos (encontrados em legumes, nozes, cacau, vinho, chá, frutas vermelhas, romãs e muitas outras frutas) reduzem o acesso do cérebro ao ferro. 

Os alimentos vegetais também contêm uma forma de ferro que é mais difícil para nosso corpo utilizar. 

A dieta carnívora é rica em Vitamina B12

Sem essa vitamina essencial, o corpo não consegue sintetizar DNA , RNA, glóbulos vermelhos ou mielina (a substância que envolve e isola o circuito cerebral). 

Não é de surpreender que a deficiência de B12 possa causar uma série de problemas psiquiátricos sérios, incluindo depressão, psicose, problemas de memória, mania e mudanças de comportamento ou personalidade. [*, *]

Os alimentos vegetais carecem de certos nutrientes essenciais para a vida humana, principalmente a vitamina B12, e os suplementos de B12 não estavam disponíveis antes da década de 1950. [*]

Se você tem ou quer evitar uma deficiência nutricional de B12, aumente a ingestão de carne vermelha, fígado, coração, frango, porco, truta, salmão, atum, ovo, queijo.

Alimentos que podem promover depressão

Quais alimentos têm maior probabilidade de incendiar seu cérebro? Os dois mais poderosos promotores da inflamação em nossa dieta moderna são carboidratos refinados e óleos vegetais refinados.

Os óleos de sementes produzidos industrialmente tendem a ser ricos em ácidos graxos ômega-6, que promovem a inflamação e lutam contra os ácidos graxos ômega-3 de que nosso cérebro e sistema imunológico precisam para funcionar adequadamente. Exemplos de opções de gordura mais saudáveis ??incluem banha, sebo bovino e manteiga.

Evitar o açúcar refinado é outra maneira de melhorar o seu humor. O açúcar pode fazer você se sentir mais energizado no início, mas não demorará muito para você desabar. Em vez disso, opte por alimentos de origem animal, pois eles mantém o nível de açúcar no sangue equilibrado. 

Recado final

Quão saudável é sua dieta? Fique curioso e reserve uma semana para avaliar a quantidade de alimentos processados ??que ingere. Isso ajudará a aumentar sua consciência sobre o que está alimentando seu cérebro. Em seguida, comece a praticar a remoção de carboidratos refinados e óleos vegetais de sua dieta. Se você está procurando uma maneira de melhorar a saúde de todo o seu corpo - incluindo seu órgão mais precioso - seu cérebro - este é o melhor lugar para começar.  

Além disso, inclua alimentos de origem animal no seu prato! A dieta carnívora é a dieta em que nosso cérebro “cresceu” durante os quase 2 milhões de anos de evolução humana antes da agricultura e, portanto, é a dieta que nosso cérebro está mais adaptado a utilizar. [*, *]


Nota: Se você atualmente tem algum problema de saúde significativo ou toma medicamentos para qualquer condição médica ou psiquiátrica, certifique-se de consultar seu médico, pois fazer mudanças dietéticas saudáveis ??às vezes afetará sua condição de saúde ou a dosagem de medicação que você precisa. 

Assuntos do Momento

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas
21 de Setembro de 2021
Ocorrência Sanitária

Haiti registra mais um caso de Peste Suína Africana nas Américas

A ocorrência foi confirmada ontem (20/09) pela OIE; é o segundo caso da enfermidade na América Latina, o que acende um alerta ainda maior em toda a suinocultura da região

Preço do suíno vivo sobe em vários estados
20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do suíno vivo sobe em vários estados

Após um começo de mês nada animador para o segmento, a última semana registrou novos aumentos em várias praças. Valor poderia ser maior, mas baixo poder aquisitivo da população segue impedindo.

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo
16 de Setembro de 2021
Custos

Situação é preocupante na suinocultura com custos superando preço do animal vivo

Quadro afeta especialmente os produtores independentes, que têm menos poder de fogo nas negociações de grãos para ração

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

20 de Setembro de 2021
EUA

Nos EUA, deputados democratas pedem recursos para prevenir peste suína africana

Grupo de deputados pediu US$ 75 milhões em recursos para que autoridades de saúde animal previnam e se preparem para um possível surto de PSA no país

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos
17 de Setembro de 2021
Mercado

Competitividade da carne de frango frente à suína é a menor em 9 anos

Levantamento do Cepea mostra que, na média deste mês (até o dia 15), a diferença entre a carcaça especial suína, também comercializada na Grande São Paulo, e o frango inteiro é de apenas 1,19 Reais/kg

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade