Guia Gessulli
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Insumos

São Paulo terá de comprar de fora 50% do milho que consome este ano, diz IEA-Apta

O Estado deve colher 4,2 milhões de toneladas de milho no total (safra de verão e safrinha), quantidade 16,2% menor em relação à safra anterior

Redação com informações de DBO e Estadão
01-Set-2021 08:58

A produção de milho em 2020/21 em São Paulo não será suficiente para suprir as necessidades do Estado, aponta o Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), em relatório divulgado em seu site.

O Estado deve colher 4,2 milhões de toneladas de milho no total (safra de verão e safrinha), quantidade 16,2% menor em relação à safra anterior – o IEA lembra que principalmente a safra de inverno, semeada com atraso, sofreu quebras por causa de estiagem seguida de geadas.

Entretanto, o consumo paulista de milho perfaz 8,23 milhões de toneladas por ano, ou seja, há milho suficiente apenas para metade do necessário.

“Isso requer que o Estado de São Paulo adquira milho de outras unidades da Federação”, cita o IEA-Apta. “Estima-se que a aquisição paulista proveniente de outros Estados totalize 4,91 milhões de toneladas, quantidade 12% maior em relação à importada em 2020.”
O segmento que mais consome milho no Estado – e que provavelmente farão as maiores compras fora do território paulista – são o de avicultura de corte, com 40,2% do consumo, seguido da avicultura de postura e pela suinocultura, com 19,6% e 14,6%, respectivamente.

Assuntos do Momento

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade