Curso Cortes de Suínos
17-Mai-2017 08:59
Investigações

Servidores envolvidos em irregularidades serão afastados de funções, afirma ministro

Em viagem ao Oriente Médio, o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) se manifestou por rede social sobre as operações da Polícia Federal realizadas nesta terça-feira (16), afirmando que servidores envolvidos em irregularidades serão afastados. Segue a íntegra do post feito no facebook do ministro:

“Estou acompanhando pela imprensa e tomando pé da Operação Lucas, deflagrada nesta terça pela a Polícia Federal, que desarticulou um esquema de corrupção envolvendo servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento . Estou em missão oficial na Arábia Saudita, mas o ministro interino, Eumar Novacki, está no Brasil.

Já estamos tomando as providências. Os envolvidos serão afastados imediatamente das funções e serão alvo de uma auditoria que poderá terminar com a exoneração dos cargos públicos. O Ministério acompanha e dá todo suporte à PF nas operações.

Já sabíamos que outros casos viriam à tona, uma vez que, após a Operação Carne Fraca, aumentamos o rigor nas apurações internas, fornecendo inclusive material de apoio à PF e MP.

Temos total interesse em extirpar do corpo de funcionários do Mapa, os servidores que mancham a imagem do órgão, não honram o compromisso de trabalhar pelo bem público e servir à sociedade. Por outro lado, tem muita gente trabalhando para mudar a situação e a imagem.”

Nota Oficial

A respeito das duas operações deflagradas nesta terça-feira (16) pela Polícia Federal envolvendo servidores, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vem a público esclarecer:

- O Mapa apoia integralmente a ação da Polícia Federal e vem colaborando com as investigações;
- Todos os servidores envolvidos na ação foram afastados preventivamente por 60 dias e, os que possuem cargos em comissão, exonerados das funções;
- Será aberto procedimento administrativo (sindicância) para investigar o envolvimento dos citados nas duas operações da Polícia Federal;
- Sobre a operação Lucas, envolvendo a Superintendência do Estado do Tocantins, é importante destacar que a servidora já estava exonerada há mais de 30 dias e que as investigações não atingem o sistema como um todo, se referindo a desvio de conduta de uma servidora;
-  Com relação à Operação Fugu, realizada em Santa Catarina, todo o trabalho técnico, durante os nove meses de investigação, foi realizado com a participação de técnicos do Mapa, inclusive com a análise de amostras efetuadas no Lanagro (laboratório do ministério) no Pará;
- Por fim, o Ministério da Agricultura deixa claro que mantém a mesma postura de transparência e de cooperação com as investigações, como ocorreu durante os trabalhos de investigação da Operação Carne Fraca, deflagrada em março deste ano.

Mapa
Deixe seu Recado