Basf SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Grãos

Soja atinge pico de 2 semanas em Chicago com previsão de calor para o Meio-Oeste dos EUA

O contrato de soja mais ativo na Bolsa de Chicago (CBOT) subia 26 centavos para 14,1025 dólares por bushel, às 14h10 (horário de Brasília), depois de atingir 14,1650, seu maior nível desde 12 de julho.

Reuters
27-Jul-2022 15:21

Os contratos futuros da soja atingiram uma máxima de duas semanas nesta quarta-feira em Chicago, com o clima quente e seco em partes do Meio-Oeste dos EUA até o início de agosto ameaçando degradar as condições da oleaginosa durante uma fase crucial de desenvolvimento da planta.

O trigo recuou com o avanço do acordo para reabrir as exportações marítimas de grãos ucranianos, apesar dos recentes ataques de mísseis da Rússia a instalações portuárias em Odessa e Mykolaiv.

Os futuros do milho eram negociados quase inalterados, pressionados pelo trigo, mas sustentados pelas condições das safras americanas.

O contrato de soja mais ativo na Bolsa de Chicago (CBOT) subia 26 centavos para 14,1025 dólares por bushel, às 14h10 (horário de Brasília), depois de atingir 14,1650, seu maior nível desde 12 de julho.

O milho recuava 0,50 centavo a 6,0025 dólares por bushel, enquanto o trigo baixava 15 centavos para 7,8825 por bushel.

Chuvas recentes em partes do Meio-Oeste dos EUA ajudaram as lavouras de milho durante a polinização, mas a falta de umidade nas próximas previsões pode prejudicar as plantas de soja à medida que elas desenvolvem vagens, disse Brian Hoops, analista de mercado sênior da Midwest Market Solutions.

“A previsão para agosto é de condições quentes e secas, o que prejudicaria os rendimentos da soja. Com os balanços já extremamente apertados, não podemos nos dar ao luxo de perder nenhum rendimento no complexo soja.”

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade