Guia Gessulli
12-Mar-2019 10:30
Bolsa de Suínos

SP tem o preço do suíno mais valorizado; em MG, valor se mantém

O maior preço levantado ocorre em São Paulo, onde o preço do quilo chegou ao patamar de R$ 4,48

O suíno vendido vivo continua se valorizando nos principais estados produtores, recuperando-se das perdas registradas em fevereiro. O maior preço levantado pela Suinocultura Industrial ocorre em São Paulo, onde o preço do quilo chegou ao patamar de R$ 4,48, segundo a Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS). Houve valorização de 4,92% em comparação com a semana anterior. Consulte aqui os valores por semana nos principais estados.

A valorização dos suínos, segundo Valdomiro Ferreira Júnior, presidente da APCS, se deve tanto ao mercado interno quanto a uma melhora nas exportações. Ele aponta, contudo, que as novas referências não tranquilizam os produtores que mantém uma perda constante em relação ao preço do milho.

“Com os novos valores, a relação de troca fica abaixo de 2:1, ou seja, uma arroba suína não consegue sequer comprar dois sacos de milho de 60 quilos. O ideal seria no mínimo entre 2,5 a 2,75:1. O grão milho representa em média 60% do custo de produção de uma granja de suínos”, explica Ferreira.

Santa Catarina também registrou melhora nos preços para os produtores. Na semana passada, o suíno comercializado vivo custava R$ 3,74 por quilo. Agora, o preço é R$ 3,89, uma valorização de 4%, conforme dados da Associação Catarinense dos Criadores de Suínos (ACCS).

No Rio Grande do Sul, o quilo do suíno vivo teve valorização de 12 centavos, passando de R$ 3,83 para R$ 3,95. O aumento foi de 3,13%, apontam os dados da Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs).

No Paraná, a valorização do suíno foi menor da semana passada para esta. O quilo do animal vivo era R$ 4, agora está R$ 4,05. O aumento de preço foi de 1,25%, conforme números da Associação Paranaense dos Suinocultores (APS).

Tanto em Minas Gerais quanto em Goiás o quilo do suíno vivo permanece no valor de R$ 4,20 há pelo menos três semanas. Segundo a Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), a Bolsa de Suínos fechou nesse preço após muitas negociações entre os representantes dos suinocultores e dos frigoríficos.

Anderson Oliveira / Redação SI
Deixe seu Recado